A Escrita na Palma da Mão!

Alex Garcia – Pessoa Surdocega, com Hidrocefalia e Doença Rara!

A “Escrita na Palma da Mão” é um dos meios de comunicação comumente usados por Pessoas Surdocegas e-ou Pessoas com Multideficiência.

Na “Escrita na Palma da Mão” a pessoa escreve na palma da mão da Pessoa Surdocega e-ou Pessoa com Multideficiência usando o dedo indicador – ou outro dedo que se sentir mais confortável – como uma “caneta”.

A pessoa escreve, na palma da mão da Pessoa Surdocega e-ou Pessoa com Multideficiência, as letras, em geral, de forma ou cursivas, uma sobre a outra, formando palavras, e, consequentemente, frases.

A destreza da própria Pessoa Surdocega e-ou Pessoa com Multideficiência é que vai determinar se as letras serão de forma ou cursivas e também a velocidade do “desenhar” das letras, palavras e frases.

A pessoa em questão pode ser uma Guia-Intérprete, um familiar, ou qualquer outra pessoa que esteja disposta a se comunicar com uma Pessoa Surdocega e-ou Pessoa com Multideficiência que faça uso deste meio-método de comunicação.

Os meios de comunicação para Pessoas Surdocegas e/ou Pessoas com Multideficiência, tendo como base a Escrita podem ser identificados, também, como Meios Alfabéticos. A escrita ou meio alfabético é exclusivamente desenvolvido na palma da mão? Não!

A escrita ou meio alfabético pode ser desenvolvida em qualquer parte do corpo da Pessoa Surdocega e-ou com Multideficiência. É mais comum na palma da mão, porém, pode ser desenvolvido nas costas, no braço, ou até mesmo na testa da Pessoa Surdocega e-ou com Multideficiência.

Em tese, nada se altera, a não ser a parte do corpo. A escrita ou meio alfabético possui variáveis? Eu, Alex Garcia, particularmente, descrevo duas variáveis deste método!

Primeira variável

A guia-intérprete segura o dedo da pessoa surdocega e-ou com Multideficiência. Ao segurar o dedo da pessoa fica parecendo que a guia-intérprete está com uma caneta na mão mas é o dedo da pessoa. A guia-intérprete escreve as letras, palavras e frases, com o dedo da pessoa numa superfície plana, uma mesa, ou livro, por exemplo. Ou seja, tem que ser uma superfície plana e fixa, impedindo, portanto, a movimentação da superfície.

Detalhe: Esta variável de escrita foi sempre utilizada pela colombiana Yolanda de Rodriguez, Fundadora da POSCAL, como meio de comunicação receptiva.

Segunda variável

A segunda variável, em tese, seria o contrário da primeira. A Pessoa Surdocego e-ou com Multideficiência segura na mão da guia-intérprete e, essa, com o dedo indicador, escreve na superfície plana. Ao fazer isso, claro, produz o desenho, formato e movimento das letras, e a Pessoa Surdocega e-ou com Multideficiência irá compreender.

Pontos chaves

Em tese, todos os métodos de Escrita, e claro, suas variáveis, possuem base oral, ou seja, a probabilidade é enorme de que Pessoas Surdocegas e-ou com Multideficiência que utilizam estes métodos como meio de comunicação receptiva, foram alfabetizados na língua oral Em tese, e muito provável, se a Pessoa Surdocega e-ou com Multideficiência usa métodos de escrita, ela não nasceu Surda, mas, sim, ouvinte, e com o passar do tempo veio a perder a audição. Em tese, e apesar de suas “perdas”, a língua se manteve na sua mente, o desenho, o movimentos das letras e, claro, seus significados.

Saudações e espero que esta contribuição seja valiosa!

Alex Garcia é fundador e presidente da AGAPASM – Associação Gaúcha de Pais e Amigos dos Surdocego e Multideficientes – www.agapasm.com.brulti

A foto: Eu, Alex Garcia, sou a pessoa que está à esquerda, de costas. Observe com atenção, a pessoa, à direita, escrevendo na palma da minha mão.