A inclusão de pessoas Surdas no mercado de trabalho no Paraná

O estado do Paraná, segundo o Censo 2010, tem cerca de 20 mil pessoas se declaram surdas. No Brasil, o número de pessoas com algum problema auditivo pode chegar a 10 milhões. Esses dados fazem refletir sobre a inclusão de pessoas com deficiência auditiva no mercado de trabalho, haja vista o tamanho da competitividade que está instaurada na área profissional.

Para oferecer melhores condições de vida para quem sofre com a perda auditiva, e até contribuir para a sua entrada e consolidação no mercado de trabalho, estudos científicos aliados à tecnologia criaram várias alternativas que beneficiam a audição. Os aparelhos auditivos são os mais comuns. Eles são indicados quando há perda auditiva definitiva, em um nível que afete o entendimento dos sons da fala.

Outra alternativa é o implante coclear. O equipamento eletrônico computadorizado tem como finalidade estimular o nervo da audição por meio de impulsos elétricos. O implante é colocado de maneira cirúrgica e é um dos recursos mais avançados para o tratamento da surdez atualmente.

Outro ponto importante a se destacar é que, a legislação brasileira prevê a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. O artigo 93 da Lei Federal 8.213/91 estabelece que as empresas com no mínimo 100 empregados são obrigadas a preencher determinadas cotas, que variam de 2% a 5%, com PcD habilitados ou reabilitados.

Embora nem todos os cargos podem ser preenchidos por pessoas com deficiência auditiva, haja vista que a legislação impede que os surdos atuem na função de motorista no segmento de transportes de cargas, a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho faz parte da responsabilidade social empresarial e contribui para a formação de uma sociedade mais solidária, igualitária e justa.