Abril Verde e a Doença de Parkinson

O Parkinson é a segunda doença degenerativa mais comum e a que mais cresce porque está ligada a fatores ambientais como: agrotóxico, poluição e uso de solventes. Não tem cura, mas tem tratamento. É genético, mas não hereditário.

Estima-se que 1% da população mundial, acima de 55 anos, e 03% da população em geral tem Parkinson. No Brasil, o Ministério do Trabalho calcula 200 mil brasileiros com a Doença de Parkinson.

Em abril, a Associação Brasil Parkinson (ABP) promove vários eventos e lança um ebook para conscientização da população sobre os sintomas, a importância do diagnóstico precoce, os tratamentos e como manter a qualidade vida para conviver e retardar a evolução da doença.

Sintomas e tratamento

 Os principais sintomas do Parkinson aparecem cerca de 10 – 15 anos antes da doença se instalar. Não há exame com marcador sanguíneo ou de líquor para indicar o diagnóstico, por isso muitos sintomas são cuidados, mas atrasam o tratamento adequado em até 2 anos.

Por ser uma doença sem cura, o tratamento ajuda na qualidade vida do paciente e atrasar os impactos da evolução dos sintomas.

O tratamento inclui medicação, atividade física, mudança para uma alimentação saudável (com o mínimo de comida industrializada) e acompanhamento de fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional.

A Associação Brasil Parkinson e os serviços estaduais e municipais espalhados pelo Brasil podem auxiliar a pessoa diagnosticada a adotar e manter uma rotina de cuidados

Dia 11 de abril – Dia Mundial do Parkinson, empresas, comércio, profissionais liberais estão convidados a usar verde para iluminar as fachadas e promover a conscientização de seus colaboradores, até distribuindo o ebook da ABP e divulgando em suas redes sociais – ABRIL VERDE – CONSCIENTIZAÇÃO DA DOENÇA DE PARKINSON. Senado, Assembleia Legislativa de São Paulo, Câmara Municipal serão iluminados de verde, cor do Parkinson, a cor da esperança.

O Parkinson é considerado pelos estudiosos uma pandemia, por causa da potencialização de fatores ambientais, como consumo de agrotóxico e poluição. Em 2040, o número de pessoas com doença de Parkinson é projetado em todo o mundo para exceder 12 milhões, segundo estudos do Global Burden of Disease.