Acessibilifolia 2022

Será lançado no dia 4 de fevereiro, sexta-feira, às 18h, a “Maracastelo”, primeiro da série de vídeos selecionados pelo programa Acessibilifolia para 2022. Veiculados no site do Um Novo Olhar – www.umnovoolhar.art.br – e no canal Arte de Toda Gente, no Youtube, os documentários retratam festas populares de rua e receberam recursos de acessibilidade para espectadores com deficiência – legendagem para surdos, e com interpretação em Libras e audiodescrição. Outros vídeos serão lançados ao longo do mês de fevereiro, sempre às sextas-feiras.

O projeto faz parte do programa Arte de Toda Gente, parceria entre a Fundação Nacional de Artes (Funarte) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com curadoria de sua Escola de Música.

Estes são os grupos que estarão nos três primeiros vídeos, veiculados nas próximas sextas-feiras:

Maracastelo – O Ponto de Cultura Maracastelo (foto na abertura) é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 2011, com o objetivo de promover atividades artísticas, educacionais e socioculturais. Desenvolve projetos em comunidades, espaços públicos e instituições de ensino no Estado da Paraíba e na cidade de João Pessoa, tendo como característica de suas ações a interface entre a tradição e a inovação. Atua na promoção de ações, eventos, formação de grupos/coletivos, mostras e festivais, tendo como base a arte relacional, as culturas populares e a educação patrimonial. Promove a valorização de identidades, das trocas de conhecimentos intergeracionais e da construção coletiva, ao utilizar as artes integradas como ferramenta de educação, formação profissional e cidadã e de transformação social. A associação está fundamentada nos princípios democráticos, no cooperativismo, na ação em rede e na gratuidade e tem tido papel fundamental na salvaguarda do patrimônio cultural paraibano, desenvolvendo projetos que conectam os saberes da oralidade aos acadêmicos.

Pife da Inclusão – Estabelecida em Caruaru, a Banda de Pífanos Pife da Inclusão foi fundada em 1º de outubro de 2017 por integrantes da Paraquadrilha. Após algumas apresentações, o grupo sentiu necessidade de demonstrar a valorização das crenças e raízes da cultura da nossa terra e, assim surgiu a banda de pífanos. A diversidade de sons em uma única banda, composta por pífanos e percussão, chamou a atenção dos ouvintes. O grupo tem também como objetivo difundir uma cultura de inclusão, buscando sensibilizar o público de modo a receber positivamente as pessoas com deficiência, inserindo a comunidade e a família, com o intuito de combater o preconceito, a discriminação e exclusão social.

Oficina dos Artesãos das Quadrilhas de Faro – A Oficina dos Artesãos das Quadrilhas de Faro é um grupo de brincantes, ex-brincantes e admiradores do Festival de Quadrilhas Folclóricas de Faro, evento que já não ocorre há dois anos. A preocupação com a cultura amazônica durante a crise social e sanitária do coronavírus levou o grupo a produzir em 2021, através da Lei Aldir Blanc, um projeto de salvaguarda de elementos do Festival que funcionam como coordenadas da identidade farense. Registrado no vídeo, o trabalho tem o objetivo de manter viva a memória e a esperança na volta do evento, que em circunstâncias normais reúne quatro quadrilhas e quase a totalidade dos habitantes do município. O grupo foi fomentador de mobilização comunitária para a construção de um acervo participativo, com as diversas categorias de artistas que fazem o Festival.

Sobre o Acessibilifolia:

Lançado em fevereiro de 2021, o programa Acessibilifolia tem como objetivo fomentar a acessibilidade e a inclusão de pessoas com deficiência nas festas populares que compõem o patrimônio cultural e imaterial do Brasil – como blocos de carnaval, grupos de frevo, boi e maracatu, entre outras. Para isso, gera conteúdo e direciona ações que buscam tornar nossos festejos populares mais democráticos e inclusivos – não só para as pessoas com deficiência, mas para todos que compartilham esses espaços, promovendo assim a convivência e a diversidade.
Com o intuito de estabelecer canais para a troca de experiências entre as pessoas com e sem deficiência, assim como os organizadores das festas, gestores, artistas e a comunidade acadêmica, são produzidas lives, entrevistas, séries de vídeos, vodcasts e publicações, entre outros materiais.

 

Sobre o projeto Um Novo Olhar:

Desenvolvido conjuntamente pela Funarte e pela UFRJ, por meio da Escola de Música da Universidade, como parte do programa Arte de Toda Gente, o Um Novo Olhar tem como alvo promover a inclusão e o acesso de crianças, jovens e adultos com algum tipo de deficiência, por meio das artes e da capacitação de professores e de regentes para coro. O projeto promove e apoia, ainda, seminários, workshops e congressos com profissionais que atuam nesse segmento. O Com a exibição online de performances de artistas e vídeo podcasts (vodcasts) sobre arte e acessibilidade; e com uma série de publicações, o projeto tem também o objetivo de ampliar a percepção de toda a sociedade sobre as deficiências.
Para assistir: https://www.youtube.com/c/ArteDeTodaGente ou no site do projeto Um Novo Olhar www.umnovoolhar.art.br