Alisson Júlio – Pronto para novos desafios!

Passados alguns meses das eleições municipais de 2020, a Revista Reação traz a vitória de uma pessoa com deficiência que representa a perseverança como ferramenta para transformar projetos em realidade. O resultado nas urnas, nas primeiras tentativas, não desanimou o joinvilense Alisson Endi Julio, que chegou ao parlamento aos 32 anos, como o vereador mais votado em seu estado em 2020.

Nas eleições passadas, Alisson somou 9.574 votos ! Esse número o coloca como o segundo mais votado para vereador na história de Joinville/SC, atrás apenas do recorde de Fernando Krelling, em 2016, com 10.523. Porém, em termos percentuais, Alisson está à frente de Krelling com 3,62 %, contra 3,58 %, respectivamente.

Assine nossa Newsletter

Newletter

Alisson Julio é exemplo de muita perseverança. Quando nasceu, os médicos não acreditaram que chegaria aos 2 anos de idade. Diagnosticado com AME – Amiotrofia Muscular Espinhal, ele lutou para viver por várias vezes. Aparentemente um bebê normal, aos 10 meses de idade a família recebeu o diagnóstico – uma doença genética e degenerativa que prejudica o desenvolvimento de músculos e ossos. “Por este motivo, utilizo cadeiras de rodas desde os 7 anos. Enfrentando muitas dificuldades e negativas, os meus pais, de tanto insistirem, conseguiram me matricular em um jardim de infância regular, e daí em diante pude cursar minha vida escolar toda em ensino regular. No decorrer da minha progressão como estudante e cidadão, fui chegando aos lugares e é constante que a minha presença seja uma motivação para melhorias de acessibilidade. Foi assim quando entrei na faculdade, onde foram feitas diversas melhorias de acessibilidade para permitir que eu e outros cadeirantes pudéssemos estudar. Assim, consegui me formar em Sistemas de Informação pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC”, conta orgulhoso o nosso entrevistado.

Ele afirma que a primeira vez em que usou o elevador da escola municipal onde estudou, foi quando, já adulto, voltou ao local para votar. Ainda que as lembranças da Escola Municipal Profº Osvaldo Cabral, na zona Sul de Joinville/SC, sejam boas, ele tem agora, como uma de suas prioridades, atuar na fiscalização da legislação.

Alisson foi persistente na missão de ocupar um cargo no legislativo. Não desistiu na primeira tentativa. Em 2016 foi candidato a vereador na capital de Santa Catarina e obteve 1,7 mil votos, ficando como suplente. Em 2018 concorreu a deputado estadual e conseguiu 10,6 mil votos. 

Assim como o vereador joinvilense, o processo eleitoral de 2020 teve a participação de centenas de pessoas com deficiência em todo o Brasil. Muitas foram empossadas em 1º de janeiro. Outras seguem em frente, na busca de concretizar seus objetivos e ter sucesso na trajetória política. 

Alisson Julio faz um convite: “não acho que seja necessário criar mais leis. No meu tempo não tinha LBI, não tinha professor assistente. Agora temos legislação federal, estadual e municipal, mas precisamos fazer com que sejam cumpridas”. E tudo isso passa pela participação direta de representantes nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas e Congresso Nacional”, comenta.

O vereador também faz um alerta: “as dificuldades de mobilidade e acessibilidade que enfrento diariamente, sucateamento de saúde, segurança e educação e o abandono urbano provocado por uma crise política generalizada, são os principais motivos que me levaram a querer me tornar uma liderança pública. No meu entendimento, para exercer qualquer função de liderança pública, o indivíduo precisa se formar e se capacitar para ocupar tal responsabilidade. Representar pessoas é fazer com que elas se sintam constantemente representadas e próximas de seus representantes”, afirma.

Empreendedor da startup social “Coleta Lacre”, que reverte lacres de latinhas de alumínio em cadeira de rodas que são doadas a pessoas que não tem condições de adquirir uma cadeira, Alisson Julio escolheu sua trajetória. Realiza palestras e demonstra que nenhum obstáculo é tão grande quanto a vontade de superá-lo. Para o poeta e romancista Mário de Andrade: “não devemos servir de exemplo a ninguém. Mas podemos servir de lição”.

Ameaça de morte

Antes mesmo de tomar posse na Câmara Municipal de Joinvile/SC, Alisson precisou encarar um inimigo invisível. Assim como Ana Lúcia Martins, a primeira mulher negra eleita na história da cidade catarinense, ele também foi ameaçado de morte pelas redes sociais. “Fica esperto Alisson, agora você também está na minha lista e também vai morrer, se eu conseguir matar a Ana e sair vivo da casa dela. Eu também tenho seu endereço”, dizia a ameaça. Alisson registrou um boletim de ocorrência e o autor dos e-mails enviou uma nova mensagem, ameaçando cometer o crime e se suicidar em seguida. Ele ainda voltou a escrever frases racistas em referência à vereadora Ana Lúcia e ofendeu Alisson, referindo-se à sua condição física. Até a Interpol – Organização Internacional de Polícia Criminal foi acionada. Para quem imagina que isso iria amedrontar Alisson, estava enganado. Ele seguiu em frente, lutando para realizar sua missão. Hoje ele é o Presidente da Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara Municipal, principal órgão permanente do parlamento de Joinvile/SC. Para saber mais sobre ele, acesse suas redes sociais: https://www.instagram.com/alissonjuliooficial/