Amankay lança Guia do Educador Inclusivo

Projeto em parceria com o Instituto Carrefour resulta em livro digital

A inclusão não é apenas inserir uma pessoa em um ambiente social, mas fazer com que ela conviva com todos neste ambiente. Partindo deste princípio, o Instituto Amankay, uma organização não governamental de São Paulo/SP, começou a elaborar em 2017 o Guia do Educador Inclusivo, um projeto financiado pelo Instituto Carrefour. O Guia terá oito capítulos e cinco, já escritos, estão disponíveis para consulta e impressão gratuita no site do Amankay.

O Guia foi elaborado a partir de oficinas e debates com alunos, pais de alunos, professores e funcionários de duas escolas públicas municipais de Ribeirão Preto/SP, a Dr. Faustino Jarruche e a Professor Eduardo Romualdo de Souza. As duas escolas foram usadas no projeto-piloto, mas experiências de inclusão de alunos com deficiência em outras unidades no Brasil são citadas no Guia.

A coordenadora do Instituto Amankay, Marta Gil, comenta que o aumento da quantidade de alunos com deficiência na rede de ensino do Brasil foi um avanço importante nos últimos dez anos. Ela destaca que agora o Brasil vive um outro momento, onde o mais importante em si não é a quantidade, mas a qualidade do ensino. “Estamos em uma fase de transição da quantidade para a qualidade”, diz. Dados do INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, ligado ao MEC – Ministério da Educação, informam que em 2005 o Brasil tinha 492.908 alunos com deficiência matriculados, dos quais apenas 23 % estavam no ensino comum, enquanto 77 % em salas ou escolas especiais. Os dados do INEP do Censo Escolar de 2015 mostram que, há 2 anos, o número de alunos com deficiência matriculados cresceu para 930.683 pessoas, das quais 81 % estavam no ensino comum e 19 % em salas ou escolas especiais.

Com o aumento da quantidade de alunos com deficiência, cresceu em consequência a necessidade de orientação dos professores, funcionários das escolas e famílias em lidar com as questões práticas deste novo cotidiano. “A nossa proposta é tranquilizar o professor e dizer a ele ou a ela: existem soluções. O nosso Guia ajuda a encontrar respostas rápidas, vou dar exemplo: ‘Como alfabetizar uma criança com Down ? Como ensinar matemática a uma criança com Autismo ? Ou então, como um professor lidará com um aluno com Autismo que tiver uma crise na sala de aula ?’ Por isto, nós deixamos de lado a teoria, fizemos um Guia prático para o professor”, explica Marta Gil. A teoria o educador encontra nas referências bibliográficas de cada capítulo.

A coordenadora do Amankay comenta que o Guia também é procurado por estudantes universitários de Pedagogia e Psicologia. “A pessoa com deficiência precisa ter autonomia para frequentar ambientes físicos e virtuais. Nós não temos ainda uma aferição de quantas pessoas fazem o download do Guia, mas temos um retorno muito grande pelas redes sociais, principalmente pelo Facebook. Tivemos uma procura até de educadores da Argentina e do Uruguai, que entraram em contato conosco”, revela Marta Gil.

Segundo a coordenadora, o trabalho com as duas escolas em Ribeirão Preto/SP começou há pouco de mais um ano. A concepção do Guia é que ele seja consultado como “uma obra de referência, que seja lido muitas vezes”, conta Marta Gil. Ela diz que pelo fato de estar em um ambiente digital – não existe ainda a previsão de lançar uma edição impressa – o Guia é de acesso muito fácil pela internet, o que inclusive está previsto na LBI – Lei Brasileira de Inclusão, de 2015.

Marta Gil comenta que o objetivo do Amankay é completar o Guia e também apresentar um jogo de cartas com tabuleiro, o qual trará desafios para a educação inclusiva. “Vamos fazer um projeto-piloto do jogo em Ribeirão Preto/SP. A prática dos jogos está em uso no mundo corporativo”, afirma.

Os capítulos prontos são: 1 – Inclusão, o que é ?; 2 – Quem cabe na inclusão ?; 3 – Como preparar atividades pedagógicas para todos ?; 4 – O Atendimento Educacional Especializado, o Professor de Apoio e o uso do laudo médico na Educação; 5 – Escola, lugar de aprender a conviver.

O download (cópia) do livro pode ser feito no site: www.amankay.org.br.