AME lança aplicativo de tradução de Libras em tempo real

A AME – Associação dos Amigos Metroviários dos Excepcionais, ONG que há 29 anos trabalha pela inclusão das pessoas com deficiência apresentou recentemente o aplicativo ICOM.

O APP – disponível para os sistemas IOS e Android – facilita a comunicação com surdos e faz a tradução simultânea da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS – para o português por meio de um call center de intérpretes que funciona 24 horas por dia atendendo as chamadas de vídeo ao vivo. Para a comunidade surda, o português é a segunda língua, e muitos não se preocupam em aprender, o que reforça a importância de ferramentas que ajudem na comunicação.

Segundo o Censo 2010, dos cerca de 46 milhões de pessoas com deficiência do nosso País, quase 10 milhões afirmam ter alguma dificuldade de audição. Deles, 10 %, ou cerca de um milhão, se declaram Surdos e são o público que mais necessita de um apoio na comunicação.

O ICOM veio para atender este grupo. Hoje são cerca de 30 mil os Surdos que já baixaram e utilizam o aplicativo, que realiza uma média diária de 800 atendimentos. “Este número pode crescer. Ainda há muitos Surdos que podem se beneficiar dessa ferramenta”, afirma José de Araújo Neto presidente da AME.

O ICOM é voltado para empresas e poder público preocupados em garantir ao Surdo o direito de ser atendido em seu próprio idioma. A resolução Nº 667, de maio de 2016 da ANATEL obriga as empresas de telefonia a garantirem ao surdo a possibilidade de tradução da Libras para o português. “O ideal é que empresas de todos os setores, além dos órgãos públicos também tenham esta preocupação de promover o respeito e a cidadania”, comenta Araújo.

O Ministério Público do Estado de São Paulo e a Prefeitura de São Paulo já oferecem o atendimento em Libras por meio do ICOM.

O principal diferencial do ICOM hoje, é sua disponibilidade em locais públicos e privados sem a necessidade do usuário gastar seu plano de dados. Isso por que quando o serviço é contratado, ele também garante que a Internet que será utilizada na chamada seja de responsabilidade da empresa ou órgão que o contratou.

 

Como funciona 

O diálogo é realizado por meio de uma chamada de vídeo para o Call Center da AME. Por exemplo, se o Surdo vai a uma consulta médica e não consegue se comunicar com a recepcionista, esta liga para a central de seu computador, celular ou tablet, e direciona a câmera para o paciente. Ele explica o que veio fazer e o intérprete do Call Center informa a recepcionista o que está falando a pessoa surda.

O caminho pode funcionar de maneira inversa também, por exemplo: o profissional de uma empresa pergunta a seu colega Surdo algo por meio do ICOM. A intérprete do outro lado da ligação de vídeo irá se comunicar em Libras para que o funcionário Surdo entenda o que o outro quer falar. As aplicações são as mais diversas – como no caso da Prefeitura de São Paulo.