Aplicando o Protocolo AFA Fisioterapia para Reabilitação do Paciente com Hérnia de disco

Introdução

Desenvolvemos um Protocolo para a Reabilitação total de nossos pacientes que foram diagnosticados com Hérnias de Disco. Este protocolo que detalharemos a seguir foi elaborado após muitos anos de estudos e aprendizado com as mais diversas técnicas de terapia manual e equipamentos de fisioterapia.

Em quase 25 anos de trabalho em nosso consultório atendemos cerca de 1900 pacientes com diagnóstico de hérnia de disco nos mais diversos níveis e conseguimos sucesso ao reabilitar 96% dos deles ou 1824, porém com 30 pacientes nosso método acabou não respondendo totalmente e os mesmos necessitaram de outros procedimentos para a melhora do quadro. Tivemos ainda 46 pacientes que desistiram no meio do tratamento pelos mais diversos motivos como o preço do tratamento, o tempo gasto, necessidades profissionais, pessoais, etc.

NOTA à mesmos nos pacientes que desistiram ou o protocolo não teve eficiência, todos apresentaram melhora considerável dos sintomas, principalmente dos processos álgicos.

Entendendo o que seria Hérnia de Disco

A hérnia de disco é caracterizada pelo deslocamento ou ruptura do disco intervertebral. Esta afecção ocorre com mais frequência na região lombar ou na região cervical. 

É uma das causas mais comuns de dor na região lombar e de dores irradiadas nas pernas, ocasionando frequentemente crises do nervo ciático, chamada de ciatalgia.

ilustração

Segundo a Organização Mundial de Saúde cerca de 80% das pessoas já tiveram ou terão um episódio de dor lombar em algum momento de suas vidas. Dentre estas pessoas, cerca de 30% apresentam lombalgia ou ciatalgia devido a uma hérnia de disco.

Normalmente estas podem ser dolorosa e incapacitante.

É importante entender que a coluna vertebral é formada por articulações compostas pelas vértebras, entre as quais existem os pelos discos intervertebrais, eles são formados por um anel fibroso e um núcleo gelatinoso conhecido como núcleo pulposo.

raio-x

Os discos são responsáveis pela sustentação do peso do próprio corpo e de todos os movimentos que você faz como inclinação e rotação da coluna. Sua função é de amortecimento, absorvendo os impactos que a coluna sofre diariamente ao realizar todo tipo de movimento e muitas vezes até mesmo sem movimento algum, apenas sustentando a postura corporal.  Todas as vezes que coloca os pés no chão a coluna sofre um impacto. Outros impactos com maior intensidade incluem o movimento de pular e ou correr.

Assim, a hérnia de disco consiste na projeção do material do disco intervertebral (núcleo pulposo ou ânulo fibroso) para além do limite físico do disco. O diagnóstico pode ser confirmado por exames de imagem como a ressonância magnética.

diferenças

No entanto, é preciso que o fisioterapeuta fique atento a todos os sinais, pois nem sempre os achados dos exames de imagem são acompanhados de sintomas clínicos.

Estudos de prevalência mostram que mais de 60% das hérnias de disco visualizadas em exames de imagem são assintomáticas. Ou seja, não há correlação clínica com a imagem. Por exemplo, o paciente pode apresentar lesão extrusa ou protrusa e não sentir nada de dor ou formigamento!

Assim, é importante uma avaliação de um especialista caso você apresente dores lombares, para o diagnóstico correto e tratamento adequado.

Causas da Hérnia de Disco

A hérnia de disco tem sua causa relacionada ao aumento da força exercida no núcleo pulposo, fazendo com que ele se desloque rompendo o anel fibroso. O anel vai em direção ao canal medular ou em direção aos espaços por onde as raízes nervosas passam gerando compressão destas estruturas.

Entretanto, há casos em que o núcleo pulposo não se rompe, ele apenas se descola empurrando contra as estruturas ao redor. Quando isso acontece o problema ganha outro nome, o de protrusão discal. É importante perceber que a hérnia de disco pode acontecer em qualquer região da coluna, sendo as mais comuns as lombares ou cervicais.

A hérnia discal na cervical gera dor e rigidez na nuca, ombros e braços. A pessoa também sente dificuldade de movimentação dos braços e pode apresentar sensação de formigamento. Outra causa comum da hérnia de disco é o desgaste pelo tempo. Com o passar do tempo, com toda a força e o uso excessivo o núcleo pode enfraquecer e se romper.

Existem também as hérnias por causas externas, como acidentes ou injúria, como por exemplo carregar materiais muito pesados entre outros. O padrão de dor irá depender principalmente da localização do disco herniado.

sintomas de hernia de disco

Confirmando a Hipótese Diagnóstica

O fisioterapeuta deverá avaliar o padrão, intensidade e duração de sua dor lombar, cervical ou nos membros.

Ao perceber a hipótese de hérnia de disco, o fisioterapeuta irá fazer um exame físico, especialmente na região das costas. Ele também fará um exame neurológico, testando reflexos, força muscular, capacidade de andar e sensibilidade (ao toque, a agulhadas e a vibrações).

Em muitos casos, a anamnese (perguntas iniciais) e esta combinação de exames são suficientes para diagnosticar ou descartar um caso de hérnia de disco.

Porém, se o profissional de saúde não tiver certeza, ele poderá solicitar a realização de exames, como a ressonância magnética nuclear por exemplo.

Sinais e Sintomas

O mais característico e responsável por mais de 90% dos pacientes que procuram nosso serviço é sempre a “DOR”. Este sintoma é o que comumente causa maior incapacidade e desconforto do mesmo, chegando a inclusive atrapalhar sua qualidade de vida pessoal e profissional.

dor de hernia

Existem também outros sinais e sintomas como as dores irradiadas em algumas posturas, dores que pioram ao movimento, os formigamentos, a queimação, fraqueza muscular local e nos membros, dores na região do ciático, sensações de choque pelo corpo, enfim a qualidade de vida fica muito comprometida.

Tratamento de hérnia de disco

Depois de confirmado o diagnóstico de hérnia de disco, são receitados alguns cuidados ao paciente. Normalmente é prescrito repouso por um curto período, além de medicamentos para aliviar a dor e também sessões de fisioterapia costumar ser prescritos pelo médico.

Geralmente, pode se obter completa recuperação do problema quando são seguidas estas orientações. Uma pequena parcela dos pacientes precisa de procedimentos mais invasivos, como injeção de esteroides ou cirurgia.

Outros medicamentos e tratamentos também podem ser receitados para a hérnia de disco, dependendo da causa: A fisioterapia é uma reabilitação feita durante e após o tratamento medicamentoso e o período de repouso. Os pacientes em tratamento serão orientados ao que fazer para minimizar as dores causadas pela hérnia de disco. Serão prescritos exercícios e posições adequadas, que causam alívio do sintoma. 

Hernia reabsorvida

Complicações da doença

Se não for tratada, ou o tratamento não for eficaz, a hérnia de disco pode gerar algumas complicações:

– dor nas costas a longo prazo e piora dos sintomas;

– perda dos movimento ou de sensibilidade nas pernas ou nos pés;

– perda da funcionalidade do intestino e da bexiga;

Protocolo Desenvolvido em nosso Serviço

Ele é dividido em 6 Fases distintas e cada fase em média dura cerca de 5 sessões. Elas são assim divididas:

Fase 1 – Analgesia

Fase 2 – Mobilização Estrutural

Fase 3 – Alongamento Muscular

Fase 4 – Fortalecimento Estrutural Específico

Fase 5 – Reequilíbrio Músculo Articular Funcional

Fase 6 – Fechamento do AFIRME

Alongamento

Fortalecimento

Informação

Reprogramação

Mobilização

Estabilização

Na Fase 1 costumo usar manobras de Mulligan, método de Rood e manobras de Rolfing combinada com Terapia Miofascial e possível uso do TENs;

Na Fase 2 uso manobras de Mulligan, Maitland, Rolfing e algumas vezes até de quiropraxia, dependendo de cada caso;

Na Fase 3 uso posturas do RPG, combinadas com técnicas de Cadeias Musculares tipo GDS associadas ao uso da laserterapia;

Na Fase 4 uso diversas técnicas da FNP – Kabat e exercícios isométricos e isotônicos concêntricos e excêntricos;

Na Fase 5 uso atividades funcionais com movimentos combinados assistidos e resistidos com cargas específicas ou dosadas pela mão do terapeuta;

Na Fase 6 terminamos o trabalho de reabilitação, desenvolvendo exercícios específicos para cada paciente, sempre seguindo o conceito do AFIRME, criado por mim.

Nota à na minha experiência clínica toda vez que alguém vem me procurar dizendo que já fez o tratamento eu sempre o questiono sobre algum dos itens do AFIRME  e não raro pelo menos dois dos itens foram negligenciados durante o processo de tratamento.

Na fase 6 já encaminhamos os pacientes para início de trabalho específico complementar em nosso serviço com sessões de Pilates e damos inicio as praticas esportivas que podem ser: Hidroginástica, Musculação, Atividades Aeróbias, Psicologia, Nutrição, etc…

Conclusão

            Como mencionamos na introdução, ao longo destes quase 30 anos trabalhando com Fisioterapia, já tivemos dezenas de milhares de pessoas que se beneficiaram do trabalho em nosso consultório, e destas já temos quase 2000 pessoas reabilitadas de hérnias de disco / protusões discais com uma taxa de sucesso superior a 96%.

            Fomos montando esse protocolo conforme fomos adquirindo conhecimento e experiência e principalmente segurança na escolha das melhores manobras de cada uma das técnicas por nós cursadas e aprendidas.

            Com o passar do tempo e com as experiências adquiridas conseguimos montar um protocolo para hérnia de disco que realmente funcionasse e que nos levou a apresentar os resultados demonstrados acima.

            Hoje temos condição de atender no modelo “HANDS ON” com muita segurança e técnica os pacientes que nos procuram e por isso recebemos pacientes do mundo inteiro como por exemplo em 2019 recebemos pacientes do Japão, Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Alemanha, Portugal, Dubai, Austrália entre outros de todo o Brasil que vem a São Paulo para realizar seu tratamento.

Atitudes simples para evitar dores nas costas

Algumas atitudes podem ser tomadas para evitar lombalgia. São todas elas simples e melhorarão sua qualidade de vida, mesmo quando não há dores nas costas.

– Alinhe sua postura: sentar ou deitar de forma correta evita dores, especialmente crônicas;

– Quando fizer exercícios com peso, proteja suas costas. Deite-se ou sente com um apoio para elas ou use cintos para cargas;

– Evite carregar peso excessivo;

– Não permaneça curvado por muito tempo;

– Ao se abaixar, flexione os joelhos e mantenha a coluna reta;

– Cuidado com o colchão que você dorme: ele não pode ser mole ou duro demais;

– O travesseiro ideal é aquele nem muito mole, nem muito duro. Também não deve ser muito alto ou muito baixo, pois pode provocar dores nas costas, já que a coluna não fica alinhada.

– Mantenha seu peso. Pessoas acima ou abaixo do peso têm mais chances de ter dor lombar. O excesso de peso resulta em menor flexibilidade da coluna, além de menor resistência das articulações e menos força muscular. A gordura da região abdominal desloca a coluna para frente, sobrecarregando os músculos das costas. Já os magros podem ter problemas alimentares, como a deficiência de cálcio. Se faltar esta substância, a pessoa pode ter osteoporose e desenvolver fraturas nos ossos.

– Assista TV sentado, com a cabeça alinhada ao tronco e as costas apoiadas no sofá.

 Faça atividades físicas pelo menos três vezes por semana. Ser sedentário prejudica o organismo por diminuir a flexibilidade, além da fraqueza muscular.

– Não fique muito tempo sentado. A cada meia hora levante-se e faça rápidos alongamentos ou movimentos, para relaxar os músculos.

– Procure não viver sob estresse constante, ele pode levar à tensão lombar.

Dr. Adriano Borges Amaral


Sua Saúde No Canal no Youtube
Mestre em Ciências do Movimento
Especialista em Fisiologia do Exercício
Especialista em Ciências do Movimento
Fisioterapeuta
Professor de Educação Física
Professor de diversas universidades por mais de 25 anos
Diretor clínico da AFA Fisioterapia
Chefe de Equipe da Fundação Selma por quase 15 anos
Ex Atleta (nadador)
Professor de Diversas Técnicas de Terapia Manual
Terapeuta manual