Aplicativo Be My Eyes auxilia pessoas com deficiências visuais

TECNOLOGIA

Lançado no final do ano passado em versão para celulares que rodam com sistema Android, o aplicativo Be My Eyes (seja meus olhos, na tradução livre do inglês) tem como função ajudar as pessoas com deficiências visuais e com baixa visão a realizarem tarefas que não podem ou que encontram dificuldades a sós. O aplicativo, desenvolvido por um dinamarquês, pode ser baixado gratuitamente na Google Play Store. Ou própria página da empresa, em inglês (www.bemyeyes.com).

O aplicativo funciona com o sistema de câmera direta. Ele conecta os usuários a voluntários que estejam por perto e durante o tempo necessário a pessoa que se ofereceu para ajudar pode auxiliar a ler rótulos de remédios e etiquetas de roupas ou a escolher produtos na prateleira de um supermercado, entre várias outras tarefas.

O Be My Eyes funciona para captar o voluntário mais próximo, com um sistema de busca parecido ao aplicativo da Uber. O voluntário que atende à chamada será o que ajudará o cego a enxergar nos arredores durante um curto tempo.

Quando entra no aplicativo, o usuário determina se é voluntário ou uma pessoa com deficiência visual. A partir daí, um pedido de ajuda pode ser feito por escrito ao voluntário, enquanto as instruções são dadas por voz ao usuário com deficiência visual. O aplicativo foi lançado em 2017 para o sistema iOS (da Apple) e neste ano foi localizado para Android.

O Be My Eyes foi criado por Hans Jorgen Wilberg. Atualmente, o aplicativo auxilia mais de 60 mil pessoas com deficiência visual ou baixa visão e têm 900 mil voluntários.  Embora a maioria dos usuários seja da Dinamarca, Grã-Bretanha e Estados Unidos, de acordo com a empresa, o aplicativo também está disponível em português.  O usuário seleciona a língua quando faz a instalação do sistema ou até mesmo quando inicia o aplicativo, basta ir à opção “Settings” (Configurações) que aparece na tela.