APPD

Atuando no Vale do Paraíba na orientação de pessoas com deficiência e seus familiares

Localizada em São José dos Campos, interior de São Paulo, mais precisamente no Vale do Paraíba, a APPD – Associação das Pessoas com Deficiência de São José dos Campos foi fundada em março de 2006, através de uma ação liderada por Maria Claudete da Silveira Rabelo de Moura em conjunto com um grupo de pessoas que buscavam atingir os mesmos ideais. Desde sua fundação, a missão da entidade é trabalhar junto à sociedade para melhorar a qualidade de vida das Pessoas Com Deficiência daquela região do Estado.

          O foco da Associação é localizar, orientar e inserir na sociedade as pessoas com deficiências, oferecendo amparo para aquelas que têm mais dificuldades.

       “Com isso, o compromisso é levar o máximo de informações possível, pois vemos o crescimento continuo de pessoas adquirindo algum tipo deficiência, seja ela temporária ou definitiva, decorrente de acidentes, principalmente entre jovens; e a luta de muitos em sua inclusão social”, afirma um dos voluntários.

      A APPD é presidida por Luiz Carlos Lucas Barbosa. Em setembro de 2007 ao fazer um mergulho atingiu um banco de areia e sofreu uma lesão medular, tornando-se tetraplégico. Após o acidente e a constatação de seu quadro de saúde diz que se deparou com a triste realidade, percebendo as dificuldades das PcD e seus familiares em conseguir um tratamento adequado de reabilitação e, principalmente, ter acesso integral a saúde.

          Além de seu serviço voluntário como presidente da APPD, atua como palestrante e trabalha em busca de parceiros e colaboradores com intuito de ampliar os atendimentos da entidade.

Uma das referências da APPD é o atendimento na residência das pessoas. “É um diferencial que colabora tanto na deficiência adquirida quanto na deficiência congênita. Nestas situações o grupo familiar não está preparado para esta abdicação, mudança o cotidiano. Tal situação exige cuidados 24 hs e em algumas situações o cuidador chega anular seu convívio social, profissional em alguns casos seu cuidado pessoal. Ressalte-se que tal esforço é totalmente recompensado ao contemplar a evolução deste ente querido. Diante deste fato a Equipe Multiprofissional composta por Assistente Social, Fisioterapeuta, Psicólogo e Advogado estão capacitados para este momento tão delicado, com a Missão de Localizar, Orientar e Inserir as pessoas com deficiências e seus familiares na sociedade”, afirma Luiz Carlos.

Outro projeto que é referência no Vale do Paraíba é o Artesão da Inclusão “que tem como objetivo capacitar e comercializar produtos, com a finalidade de introduzir uma fonte de renda alternativa a família das PcD sem atrapalhar o convívio diário e os cuidados para com seus entes queridos, visando o convívio social a terapia ocupacional e desenvolvimento humano”, comenta o presidente da APPD.

Pesquisas comprovam que a renda per capita das famílias de Pessoas com Deficiência é em média 50 % a 70 % menor que as demais famílias que pertencem ao mesmo grupo social na região.

Para o presidente da Associação, “isso ocorre porque na maioria das vezes algum membro da família deixa de exercer sua vida profissional ou reduzir sua jornada de trabalho, para dedicar aos cuidados pessoais da outra pessoa”.

Já o projeto Oficina Inclusiva Mão na Roda, tem a finalidade de dar suporte às famílias que necessitam de amparo e, muitas vezes não possuem condições de manter ou adquirir um equipamento funcional e adequado.

Para os dirigentes da APPD é fundamental garantir a locomoção, o acesso à cadeira de rodas, muletas, andadores e bengalas, “pois são aparelhos primários e fundamentais que auxiliam as Pessoas com Deficiência, definitiva ou temporária, em suas atividades diárias e como tal, precisam de manutenção por se tratar da extensão do seu corpo. É nesse momento que a APPD passa a agir”, afirma Luiz Carlos.

A entidade faz a personalização dos equipamentos, principalmente pensando na criança e no adolescente. “Sabemos o quanto é difícil viver numa cadeira de rodas. Ao personalizar, criamos um ambiente agradável, elevando a autoestima do usuário”, finaliza Luiz Carlos.