As madames do Cabo Branco

A vereadora Helena Holanda da cidade de João Pessoa, na Paraíba, passou por um atendimento de gabinete bastante diferente há algumas semanas. Um grupo de moradoras do bairro do Cabo Branco, região da cidade em que fica o metro quadrado mais caro do Estado da Paraíba, pediu para que a política impedisse ou restringisse a presença de Pessoas com Deficiência na orla da praia da capital paraibana.

A vereadora é incentivadora do “Acesso Cidadão”, projeto que é realizado pela prefeitura de João Pessoa/PB, que acontece aos sábados, na região da Fundação Casa de José Américo.

Helena Holanda, em entrevista, disse que as moradoras: “reclamaram do som. Mas nós só ficamos lá até o meio dia. Também vieram reclamar, em tom de intimidação, a mudar o projeto de lugar porque estava incomodando e retirando a beleza natural do lugar, porque ali moraram muitas pessoas ilustres, muitas pessoas de renome e que a praia teria que ter uma história diferenciada. Eu não respondi à altura porque são pessoas idosas e eu devo receber as demandas e executar – se puder e achar necessário. Essa eu jamais executarei ! Pelo contrário, o projeto vai permanecer lá e será até ampliado”. De acordo com a vereadora, diante de sua recusa em recuar com o projeto que leva PcD ao banho de mar e a esportes aquáticos, as reclamantes reivindicaram que fosse a área utilizada pelas pessoas com deficiência fosse – pasmem – cercada. “Fizeram um pedido repetitivo para cercar o local do projeto, que fosse isolada a área e colocassem um portão”, conta indignada a vereadora.

O projeto existe desde 2012 e também prevê o acesso a jogos esportivos, lazer e cultura. Acontece sempre aos sábados, das 7h às 12h. E não vai acabar e ainda será ampliado, para tristeza das “madames” do bairro paraibano.