Autoridades de SP se calam diante de pessoas com deficiência que NÃO SÃO FRAUDES

As Assessorias do Governo do Estado de SP; do Vice Governador Rodrigo Garcia; da Secretaria de Governo; da Secretaria da Fazenda; da Secretaria Estadual da Pessoa com Deficiência da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo; do Dep. Est. Carlão Pignatari – Presidente da ALESP e do Dep. Est. Vinicius Camarinha – Líder do Governo Dória na ALESP mantém silêncio total sobre os fatos apresentados durante BOLETIM EXTRAORDINÁRIO do SISTEMA REAÇÃO que entrevistou Edmar Carlos Leme, Claudia Ap. Barbosa Ruiz e Adivaldo de Souza Lucas, na última segunda-feira, no início da tarde.

Para conferir a íntegra das entrevistas acesse os links:

No Youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=7YgphIp9Tu8

Facebook: https://www.facebook.com/watch/live/?ref=watch_permalink&v=926411868310773

Adivaldo Souza Lucas tem distrofia muscular de duchenne. Ele fez todos os procedimentos administrativos e não obteve a isenção do IPVA. Pela sua deficiência, ele não é condutor.

Edmar Carlos Leme tem esclerose múltipla há 21 anos. Começou a contar com a isenção em 2011, após um surto que deixou as pernas debilitadas. Nos últimos 5 anos passou a usar bengalas.

Claudia Ruiz tem artrose na coluna e passou por várias cirurgias. Tem restrições de movimentos e limitações. Usa bengala e cintas ortopédicas. Teve perda de força na perna esquerda, além de formigamento. Tem dificuldades para locomoção, pois não possui equilíbrio.

 

 

O SISTEMA REAÇÃO também entrevistaria Geni dos Santos, que tinha graves sequelas em razão da deficiência, mas infelizmente ela veio a óbito nos últimos dias, em face de uma embolia pulmonar.

Nos quatro casos apresentados durante a transmissão, nenhum deles obteve a isenção do IPVA de forma administrativa. Contam com a suspensão da cobrança em razão da liminar obtida pelo Ministério Público e Defensoria Pública junto ao Judiciário Paulista.

“São casos que demonstram – claramente – e comprovadamente, que não são fraudes. As autoridades preferem não admitir que cometeu um grave erro contra essas pessoas”, comentou o especialista em legislação PcD Renato Baccarelli.

Para Rodrigo Rosso, diretor do SISTEMA REAÇÃO, “o segmento não quer também que existam fraudes. Mas não é da forma como o Governo fez. Criaram regras, sem conhecer a realidade do segmento. O estado precisa, urgentemente, corrigir tudo isso e fazer justiça devolvendo os direitos a essas pessoas”.

O SISTEMA REAÇÃO encaminhou três mensagens eletrônicas para todas as autoridades citadas. Até o fechamento desta matéria, não houve nenhum retorno.