Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência atualiza dados na área da educação, em ensino superior

Para possibilitar a indução de políticas públicas, construção de novas ações inclusivas em nível municipal e estadual e ser referência para pessoas com deficiência, profissionais, ativistas, legisladores e pesquisadores, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência atualizou os dados da plataforma “Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência”, referentes a 2019 na área da educação, em ensino superior, disponível no site www.basededados.sedpcd.sp.gov.br .

Foram inseridas informações referentes aos alunos com deficiência matriculados em universidades particulares e estaduais, contendo dados sobre tipos de deficiência, idade, raça ou cor e gênero. É possível fazer consulta em cada município do estado de São Paulo e também ter acesso ao número de alunos com deficiência matriculados ou vinculados a rede de ensino superior.

Os dados apontam que Cubatão é o município que possui o maior número de estudantes com deficiência, sendo um total de 28 alunos (2,73%), em 2019. Já a cidade de São Paulo fechou o ano com 9.359 estudantes com deficiência matriculados.

Além disso, a plataforma conta com novas informações sobre ensino superior EaD (educação a distância) e também com o número de discentes e docentes, dados por tipo de deficiência, faixa etária, gênero, raça ou cor, tipo de vínculo do estudante, grau e tipo de instituição de ensino, análise por atividade e bolsa extracurricular, ranque de matrículas por município, entre outros.

Essa coleta tem como objetivo oferecer à comunidade acadêmica e à sociedade em geral, informações detalhadas sobre a situação e as grandes tendências do setor.
Criada pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a plataforma da “Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência” reúne em um sistema de BI – Business Intelligence, os dados censitários e informações relacionadas à pessoa com deficiência.

Os dados são organizados em áreas de educação, saúde, emprego e renda, desenvolvimento social e esporte, utilizados como instrumento para a indução de políticas públicas, construção de novas ações inclusivas em nível municipal e estadual .
Fonte: Comunicação Social da SEDPCD
Font Resize