Biomob Talks 2021 – DIVERSIDADE, INCLUSÃO E MOBILIDADE

O Biomob Talks é a continuação do Fórum Biomob de Acessibilização. Nessa 15ª edição o evento online contará com diversos especialistas sobre os temas: Diversidade, inclusão, esporte adaptado, educação inclusiva, mobilidade, empregabilidade e rede de acolhimento.
O Fórum Biomob Brasileiro de Acessibilização surgiu em 2017, e sua primeira edição foi realizada no Museu do Amanhã. Com o apoio da prefeitura do Rio de Janeiro, o evento contou com a participação de diversas autoridades como Ricardo Piquet, Presidente do Museu do Amanhã; Rodrigo Rosso, Diretor da Revista Reação e e Clodoaldo Silva,  Campeão Paralímpico.
Após 14 edições bem sucedidas, inclusive com o último evento internacional, este ano o Fórum passa a se chamar Biomob Talks.
Os temas que estão sendo revisitados são: acessibilidade, educação inclusiva, empregabilidade, mobilidade, políticas públicas para a inclusão e rede de acolhimento. A partir desta edição, os painéis serão compostos por um representante da academia, um do poder público, um da iniciativa privada e um da sociedade civil organizada.
Esse último representante será responsável por apresentar as demandas regionais do segmento, os principais gargalos e desafios para o processo de inclusão, enquanto os outros representantes irão propor soluções em conjunto para tornarmos o Brasil um país mais inclusivo.
“Mais de 15000 pessoas assistiram nossas palestras ao longo desses 4 anos e agora, nesse novo formato on-line, esperamos aumentar ainda mais a capilaridade desses debates e expandir esse público para segmentos que até então não se mobilizavam em prol desses relevantes temas. Nossa pauta ganhou um reforço com o conceito ESG – environmental, social and governance, porém o que temos observado é que as pessoas com deficiência continuam excluídas e segregadas”, afirmam os organizadores.
“As edições anteriores serviram para aprimorarmos nosso modelo de evento e hoje nos orgulhamos de apresentar um evento totalmente acessível e igualitário, onde pessoas com deficiência, mulheres e pessoas pretas terão seu protagonismo reconhecido e ganham um espaço democrático para exporem suas ideias e conceitos de um país melhor”, diz a nota da Comissão Organizadora.