Brasil conquista medalha inédita na canoagem e bronze no atletismo

Luís Carlos Cardoso vibra no Sea Forest Waterway
Miriam Jeske/CPB @miriamjeske.photo
No começo do antepenúltimo dia de competições nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, o Brasil conquistou mais duas medalhas: o canoísta piauiense Luís Carlos Cardoso conquistou a inédita medalha de prata para o país na canoagem (classe KL1 – para atletas que usam somente o braço na remada), enquanto o lançador carioca João Victor ficou com o bronze no lançamento de disco na classe F37 – para atletas com paralisia cerebral – com a marca de 51,86m.

Com estas conquistas, o Brasil acumula agora 19 medalhas de ouro, 14 de prata e 23 de bronze, sendo um total de 56 pódios nos Jogos de Tóquio. Até esta madrugada, o país ocupava a sexta colocação do quadro de medalhas da competição.

Canoagem
A primeira medalha do dia foi na canoagem. Luís Carlos Cardoso fez história ao conquistar a medalha de prata nos 200m (classe KL1) – inédita para o país na modalidade, que havia conquistado apenas um bronze nos Jogos do Rio, quando a canoagem entrou no programa dos Jogos Paralímpicos. O canoísta de Picos (PI) fez o tempo de 48s031. A medalha de ouro ficou com o húngaro Peter Kiss (45s447) e o bronze com o francês Remy Boulle (48s917).

Depois desse feito, o carioca voltará ao Sea Forest Waterway nesta sexta-feira, 3, às 22h04 (de Brasília) para a semifinal do VL 200m.

“Faltava esta medalha paralímpica. Por pouco, eu não consegui no Rio. Mas, graças a Deus, esta medalha chegou. Eu já sabia que húngaro era muito forte. Agora é melhorar para 2024”, apontou o atleta.

Outros resultados: 
Fernando Rufino – 200m classe KL2  – 6º lugar  (43s217)
Debora Benevides – 200m classe VL2 – 7º lugar (1min04s778)
Giovane de Paula – 200m classe KL3 – 4º lugar na Final B ( 43s508)
Caio Ribeiro   – 200m classe KL3 – 5º lugar (42s005)

Atletismo 
João Victor conquistou o bronze no lançamento de disco na classe F37 – para atletas com paralisia cerebral.  Ele fez o lançamento com a marca de 51,86m, ficando atrás do paquistanês Haider Ali (55,26m) e do ucraniano Mykola Zhabnyak (52,43m). Esta foi a segunda medalha de João Victor na capital japonesa – o carioca também foi bronze no arremesso de peso.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro