Bruxismo e o Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Bruxismo entre autistas

De acordo com pesquisa realizada na Faculdade São Leopoldo Mandic, 55% das crianças e adultos jovens com AUTISMO apresentam BRUXISMO, uma desordem funcional caracterizada pelo ranger ou apertar dos dentes. O dado é exatamente o mesmo entre as crianças e adolescentes com paralisia cerebral: 55% dos pacientes nesta condição possuem bruxismo.

Os resultados coletados no estudo são explicados pela complexidade do diagnóstico e do tratamento de bruxismo em pessoas neuroatípicas, principalmente as crianças, que têm dificuldade em realizar tratamentos odontológicos.

Por serem pessoas altamente sensíveis a estímulos sensoriais, os barulhos gerados pelos equipamentos odontológicos e os sabores desagradáveis de medicamentos podem causar reações de repulsa e desconfiança, interferindo no diagnóstico e no tratamento do bruxismo.