CBDS promove a inclusão por meio do esporte

Entidade máxima do desporto surdo no Brasil, a Confederação Brasileira de Desportos de Surdos (CBDS) conta com mais de 5 mil atletas filiados, além dos profissionais que compõem suas comissões técnicas.

Prestes a completar 37 anos de existência (a entidade foi oficialmente fundada no dia 17 de novembro de 1984), a CBDS é uma instituição sem fins lucrativos, reconhecida por promover a inclusão social das pessoas surdas por meio do esporte. Atualmente, a CBDS conta com 138 entidades filiadas, além de ser filiada ao Comitê Internacional de Esportes para Surdos (ICSD), à Organização Esportiva Pan-Americana para Surdos (PANAMDES) e à Confederação Sul-Americana de Esportes de Surdos (CONSUDES).

Em um mandato marcado por grandes conquistas, Diana Kyosen, presidente da CBDS, foi a primeira representante da instituição a ocupar uma cadeira no Conselho Nacional do Esporte (CNE). “Solicitamos um assento no Conselho Nacional do Esporte para que o desporto de surdos pudesse se sentir representado, além de termos a chance de reivindicarmos nossos direitos. A Secretaria Nacional do Esporte foi sensível à nossa causa. Isso é uma grande vitória para a comunidade surda e todos nós agradecemos pela oportunidade”, explica Diana, relembrando o feito.

A luta surda por respeito e inclusão já é conhecida. E não é diferente em relação às dificuldades enfrentadas pelos surdoatletas. Falta acesso a políticas públicas esportivas, já que a categoria não se enquadra na categoria ‘paradesporto’. Além disso, os apoios e patrocínios direcionados aos surdos são infinitamente menores aos aplicados às demais categorias.

Por isso, a nomeação da presidente da CBDS para uma cadeira no Conselho é uma das conquistas mais importantes da história, não só para os surdoatletas, mas para toda a comunidade surda, que ganhará ainda mais representatividade no âmbito do esporte.

Ex-atleta de futsal da Seleção Brasileira, Diana Kyosen conquistou, em 2015, o vice-campeonato mundial, em Bangkok (Tailândia) e tem no esporte sua paixão. “Sei os benefícios que tive através do esporte e como presidente da CBDS quero garantir isso a todas as gerações de surdos”, conclui Diana.

Em setembro, a CBDS assinou um contrato de patrocínio com as Loterias CAIXA, momento considerado histórico para a instituição, por ser o primeiro contrato formal da CBDS, em toda sua existência.

O patrocínio permitirá que a CBDS tenha mais estrutura e recursos para disputar os campeonatos brasileiros em diversas modalidades, além de permitir ao Brasil sediar os Jogos Pan-Americanos de Futsal e de Badminton de Surdos, em 2022, além da Surdolimpíada Nacional, que será realizada em dezembro de 2021, na cidade de São José dos Campos (SP).

“Este é um grande marco em nossa história, que mudará a vida dos surdoatletas. Nós agradecemos as Loterias CAIXA pelo reconhecimento e visibilidade às pessoas surdas”, agradece Diana Kyosen.

A missão da CBDS
Segundo dados do IBGE (2019), no Brasil existem quase 11 milhões de pessoas com deficiência auditiva, e a CBDS acredita que o esporte é um importante meio para as pessoas surdas demonstrarem sua capacidade e fortalecerem sua autoestima.

Além de realizar e participar de competições nacionais e internacionais, a CBDS participa, apoia e promove atividades socioeducativas com o objetivo de orientar surdoatletas, seus familiares e profissionais. Também existe um trabalho para descobrir talentos do esporte, fortalecendo entidades e ampliando a prática regular e saudável de atividades físicas, para pessoas surdas.

A Confederação Brasileira de Desportos de Surdos tem o patrocínio das Loterias CAIXA e do Governo Federal.