CEJAM tem projeto que reduz invisibilidade social de pessoas com Síndrome de Down

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que cerca de 300 mil brasileiros vivem atualmente com Síndrome de Down.

Nesse sentido, o Dia Internacional da Síndrome de Down, lembrado em 21 de março, foi criado com o intuito de conscientizar a população sobre a importância de integrar o grupo à sociedade e ajudar a minimizar as dificuldades do dia a dia.

A Estratégia Acompanhante de Saúde da Pessoa com Deficiência (APD) Campo Limpo, é um serviço desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o CEJAM – Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim”, para promover a inclusão de pessoas com deficiência intelectual – Síndrome de Down, Autismo e Paralisia Cerebral – na sociedade, reduzindo a invisibilidade por meio do empoderamento pessoal e da cultura.

O serviço conta com uma equipe multidisciplinar, composta por enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e acompanhantes, que realiza saídas com os pacientes para eventos, parques, palestras e oficinas.

O CEJAM diz que o foco é dar suporte à socialização, por meio da ampliação do repertório cultural e de vida aos pacientes, sempre com foco no desejo e solicitação do mesmo. Realizando inclusive, ações de estímulo à autonomia no domicílio.

Atualmente, o CEJAM gerencia as equipes nos seguintes bairros da zona Sul da capital paulista: Capão Redondo, Campo Limpo e M’Boi Mirim, e cada grupo é responsável pelo atendimento mensal de cerca de 70 pessoas, totalizando 210 pacientes.