Como fica o uso obrigatório de máscara para os autistas?

* Por Amanda Ribeiro

O uso de máscara agora é obrigatório em todo território nacional, mas como ficam os nossos autistas que não conseguem usar por questões sensoriais ou de entendimento?

É muito comum que os autistas tenham alterações sensoriais, para uma criança autista não poder sair de casa e intensificar a higiene, já tem sido muito difícil de compreender e o uso de máscara é um desafio maior ainda.

O uso da máscara potencializa o TPS (transtorno do processamento sensorial) comum entre autistas que dificulta a utilização da máscara.  É ruim ter algo encostando no rosto e orelhas. Não é porque eles não querem utilizar, é porque é muito incômodo, chegando a ser insuportável.

Em alguns casos, a aceitação poderá ocorrer, mas na maioria dos casos a insistência do uso da máscara pode gerar crises, irritabilidade, agitação e até mesmo auto agressão.

Ofertas de Parceiros

No caso da pessoa autista que tenha o transtorno do processamento sensorial, talvez não seja possível o uso da máscara, por isso é importante que as pessoas ao redor usem a máscara.

As famílias estão empenhadas em ensinar e incentivar o uso da máscara, porém muitas vezes não é possível.

Na nova lei federal 14019/2020 sobre o uso obrigatório de máscaras já está incluída a dispensa do uso pelos autistas.

  • 7º A obrigação prevista no caput deste artigo será dispensada no caso de pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, conforme declaração médica, que poderá ser obtida por meio digital, bem como no caso de crianças com menos de 3 (três) anos de idade.

É muito importante que todos os colaboradores dos estabelecimentos saibam sobre esta dispensa para evitar constrangimento, discriminação e abordagens desagradáveis.

A capacitação é a chave para inclusão e acessibilidade para o autismo.

Agregue valor ao seu negócio através da inclusão.

* Amanda Ribeiro é mãe do Arthur, 4 anos, autista. Autora do Blog @mamaequeviaja & Diretora da Incluir Treinamentos. Colunista de Acessibilidade do Sindepat https://www.instagram.com/incluirtreinamentos/ (11) 9-7327-0252

 

** Este texto é de responsabilidade exclusiva de seu autor, e não expressa necessariamente,  a opinião do SISTEMA REAÇÃO – Revista e TV Reação.

 

Links:

LEI FEDERAL 14019/2020 http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/L14019.htm