Conheça o projeto do “Novo Pacaembu” onde a acessibilidade deve ser tratada como prioridade

* Por Geraldo Nunes

Sou do tempo em que para se ir a um estádio de futebol em São Paulo, a pessoa portadora de deficiência enfrentava uma verdadeira maratona por causa da acessibilidade zero. Fosse no Pacaembu, Morumbi, ou no antigo Parque Antártica, era preciso contar com a ajuda de um amigo ou alguém da família.

Faltavam rampas, corrimões e espaços para a circulação e o estacionamento de veículos para as pessoas portadoras de deficiência. Tal situação só foi mudar depois que surgiram as arenas esportivas do Palmeiras e do Corinthians, entre 2013 e 2014, construídas nos padrões de exigência estabelecidos pelo Desenho Universal. Para quem não sabe, se trata de uma proposta arquitetônica iniciada nos Estados Unidos, pela Universidade da Carolina do Norte e seguida pela maioria dos arquitetos no mundo todo. Ela determina a implantação de espaços acessíveis para a passagem de cadeiras de rodas. Por onde passa um cadeirante, todas as demais pessoas com mobilidade reduzida conseguem passar também.

vista do estadio sem tobogã

Quando a Allegra Pacaembu assumiu a concessão do Estádio Paulo Machado de Carvalho, em 2020, surgiu para nós portadores de deficiência, a esperança de desfrutar mais um espaço esportivo. A empresa se comprometeu a investir R$ 400 milhões em melhorias e a construção de um edifício de cinco andares no lugar do tobogã que finalmente será eliminado. Trata-se de uma arquibancada super inclinada que de tão perigosa, nenhum deficiente jamais ousou querer entrar.

O projeto prevê para o prédio restaurantes, lojas, escritórios, centro de convenções e eventos. Nas projeções por computador, entretanto, ainda aparecem equívocos em relação ao desenho universal.

boulevard fundos

Na parte dos fundos, por exemplo, será feito um boulevard com escadas laterais sem alternativas ao lado como rampas ou elevadores!

O estádio do Pacaembu, é tombado pelo patrimônio histórico. Mesmo assim se permitiu a construção de camarotes, ótimo. Nas arquibancadas, entretanto, não aparecem corrimões nas escadas. A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT estabelece regras nesse sentido, por isso acreditamos que tudo será resolvido em tempo hábil, mas segue daqui o alerta para a Allegra Pacaembu a quem desejamos boa sorte no empreendimento.

 

* Geraldo Nunes se tornou paraplégico com um ano de idade, é jornalista especializado em mobilidade urbana, acessibilidade, assuntos de economia e história. Durante 20 anos sobrevoou a cidade de São Paulo na função de repórter aéreo. Contatos pelo e-mail: geraldo.nunes1@gmail.com

** Este texto é de responsabilidade exclusiva de seu autor, e não expressa, necessariamente,  a opinião do SISTEMA REAÇÃO – Revista e TV Reação.

Font Resize