Crianças produzem vídeos de música em Libras para campeonato da UFSCar

Crianças e professores se mobilizaram, nos meses de setembro e outubro, para participar de um campeonato virtual de literatura em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

A proposta era para que estudantes de até 12 anos de escolas de todo o Brasil produzissem um vídeo com o intuito de recontar, em Libras, a canção “As expressões faciais dos sentimentos” (https://bit.ly/3mZu3tl), produzida por Wilson Santos.

A ação foi promovida pelo programa de extensão #CasaLibras da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em SP. Para festejar e premiar os trabalhos, foi realizada, no último dia 29 de outubro, uma live com os participantes e organizadores. O vídeo do evento está disponível no canal do #CasaLibras no YouTube (https://bit.ly/3wvuIpu).

O campeonato celebrou o Setembro Azul, que relembra e celebra as lutas, a história e as vivências surdas, e o Mês da Criança, e integra o programa de extensão “#CasaLibras: Programa educativo de atenção bilíngue (Libras/Língua Portuguesa) virtual a crianças surdas”, coordenado pela docente do Departamento de Psicologia (DPsi) da UFSCar, Vanessa Regina de Oliveira Martins, que também coordena o curso de graduação em Tradução e Interpretação em Libras/Língua Portuguesa (TILSP) da UFSCar. “O projeto #CasaLibras nasceu na pandemia como forma de produção de entretenimento e conteúdo didático em apoio às crianças surdas, suas famílias e às escolas no isolamento social”, explica a coordenadora.

Ao todo, os organizadores do campeonato receberam 11 trabalhos de estudantes de São Paulo, Guarulhos, Campinas e Jundiaí – alguns dos quais já pré-selecionados pelas escolas. “Todos foram ganhadores”, conta a professora da UFSCar. “Como nunca houve campeonatos em Libras para o público infantil surdo, quisemos valorizar todas as produções enviadas; assim, promovemos categorias de premiação, mas todas as crianças foram valorizadas em suas produções. Essa foi a estratégia adotada para motivar novas ações dessa natureza e despertar interesse nas crianças surdas pelo conhecimento produzido em sua Língua”, conta a professora da UFSCar.

Live de premiação Todos os 11 vencedores receberão certificados, a serem encaminhados à unidade escolar, junto a um presente do #CasaLibras aos participantes: um chaveiro confeccionado por uma integrante da equipe do projeto.

“Na premiação, tivemos a participação de mais de sete unidades escolares assistindo ao evento ao vivo e algumas estavam transmitindo para turmas de estudantes diretamente da escola. A live já foi visualizada por mais de 200 pessoas”, celebra Vanessa Martins. Segundo a docente, eventos como este promovem a circulação e a acessibilidade da Libras, e a valorização dessa Língua promove inserção e atende ao direito de existência das crianças surdas.

Vanessa Martins conta que a live de premiação foi emocionante. “Muitos professores bilíngues de escolas públicas e pais choraram no momento da transmissão e por verem seus filhos representados em um evento de uma universidade pública. Os professores mencionaram o quanto a proposta foi positiva no processo de gravação e nas atividades anteriores para as crianças surdas. Já pediram um segundo campeonato ano que vem. A educação bilíngue (Libras/Língua Portuguesa) é um desafio gigante, a falta de incentivo público e de materiais em Libras é gigantesco. Por isso, ver o retorno dos professores, a palavra de gratidão pela iniciativa, as fotos das crianças emocionadas e a interação delas no chat do YouTube certamente me fizeram ficar imensamente feliz e acreditar que todo o trabalho da nossa equipe #Casalibras valeu a pena”.

A mãe da aluna Ana Luiza Pantaleão, do Sesi de Jundiaí, uma das escolas participantes, relatou à professora Giovana Nogueira: “Minha filha chegou aqui falando ‘nossa, mãe, eu tô tão feliz. Você acredita: eu cheguei na sala e meus amigos batem palma pra mim?’ Então, ela ficou bem feliz mesmo; ela estava até emocionada, bem contente. Foi muito legal ela ter participado. Obrigada pela força […]”, agradeceu a mãe.

A coordenadora do #CasaLibras destaca que “ao promovermos ações dessa natureza, favorecemos a visibilidade das crianças surdas, suas formas de vida e elas passam a ser protagonistas de algo em nossa sociedade. A valorização de uma língua é a valorização de um povo e de seus direitos. A promoção do campeonato em Libras com 100% de participação de crianças surdas marca algo histórico, o protagonismo destas crianças que muitas vezes estão invisibilizadas na escola e na sociedade, quando não se produzem ações valorizando as suas especificidades”.

Mais informações sobre o projeto #CasaLibras podem ser acessadas pelo canal do YouTube (https://bit.ly/30exbsP) ou solicitadas via e-mail [email protected].