Cristo azulou para celebrar o dia 2 de abril

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo é celebrado no dia 02 de abril. A data foi definida pela Organização das Nações Unidas – ONU, em 2007, sobretudo para alertar sobre o aumento expressivo no número de casos, a viabilização de proteção, educação, tratamento e cuidados de pessoas com autismo.

No final da década de 80, uma a cada 500 crianças eram diagnosticadas com autismo. Atualmente de acordo com dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, a incidência de Autismo atinge uma em cada 59 crianças. Estes dados, considerados alarmantes, chamaram atenção da ONU, que classificou o Autismo como uma questão de saúde pública mundial e o Brasil não está preparado para essa contingência.

Por sua singularidade, a pessoa com Autismo necessita de tratamento adequado, em ambiente estruturado e que atenda as suas necessidades específicas, por meio de múltiplas atividades, bem como de todas as terapias sugeridas pelos estudos científicos acerca do tratamento, que incluem equipes profissionais especializados nas áreas multidisciplinares de educação e saúde.

Em 2019, a ONU estabeleceu como tema central desta data a questão:  “Tecnologias Assistivas, participação ativa”.

Em seu texto de lançamento do tema, a ONU argumenta: “para muitas pessoas no espectro do autismo, o acesso a tecnologias assistenciais a preços acessíveis é um pré-requisito para poder exercer seus direitos humanos básicos e participar plenamente da vida de suas comunidades e, assim, contribuir para a realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável”.

Diz a ONU: “a Tecnologia Assistiva pode reduzir ou eliminar as barreiras à sua participação em igualdade com as demais”, diante de novos e contínuos avanços para o enfrentamento desta causa.

No dia 2 de abril, os cartões-postais do mundo inteiro são iluminados de azul para chamar a atenção da sociedade e da mídia, como: o Empire State Building, em Nova York; a Torre Eiffel, em Paris; a CN Tower, no Canadá; e até as Pirâmides do Egito.

No Rio de Janeiro, o Cristo Redentor é o mais famoso monumento a ser iluminado de azul, em nome da conscientização do Autismo. Esse ano, o Cristo azulou para a abertura do Seminário RioTEAma, que aconteceu na Cidade das Artes nos dias 2 e 3 de abril. Foi uma celebração voltada para os Autistas presentes, onde, aos pés do Cristo, fomos abençoados com uma noite linda e envolvidos por energias de Amor e Respeito aos “diferentes”. Uma noite inesquecível, principalmente para as famílias que nunca tinham ido ao Cristo.

O seminário RIoTEAma teve como objetivo, conscientizar a população sobre a importância de diagnosticar, tratar e inserir as pessoas autistas na sociedade. Contou com mais de 10 palestrantes, entre eles: Kátia Morritz, Janessa Dominguez, Denise Hardt, Diogo Lovato, Graciela Pignatari, Dr. Paulo Liberalesso, Dr. Eduardo Faveret, Dr. Jair Moraes, entre outros. E ainda teve uma palestra gravada do doutor Alysson Muotri, que estuda o cérebro e faz pesquisas pela Universidade da Califórnia (EUA).