Cromoterapia: terapia das cores promove bem-estar físico e mental

Elisa
Foto: Acervo pessoal

*  Elisa Henna.  

O atual cenário de pandemia provoca ansiedade, inquietação e nos deixa cada vez mais preocupados com a saúde. É um momento de profundas mudanças e incertezas, mas precisamos buscar o equilíbrio para administrar a rotina e, assim, cuidar do corpo e da mente.

Uma alternativa que pode ajudar a controlar essas emoções é a Cromoterapia, ciência que aplica cor e luz para equilibrar as energias do corpo, sejam físicas, mentais ou emocionais. Perceba que há cor em todos os lugares: na natureza, por exemplo, temos em abundância, como em árvores, flores e animais. Já parou para observar como os pássaros, araras, papagaios são multicoloridos? Em tudo, há muitas tonalidades de cores e elas são estímulos de vida, pois exercem influência sobre nosso comportamento e emoções.

Com a terapia integrativa é possível até obter resultados rápidos e visíveis no tratamento de diversos sintomas, como por exemplo dor de cabeça, insônia, stress e azia. Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), surgiu na Antiguidade com os povos da Grécia, Egito, Índia e China e utiliza como base as cores do arco-íris: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta.

Cores têm significados – Cada cor tem um significado especifico e é usada pelos terapeutas de acordo com sua necessidade. Nesse período em que somos obrigados a ficar em casa, as mais indicadas para diminuir o medo e o pânico são verde, azul e amarelo. Pode utilizá-las nos ambientes da casa, nas roupas e acessórios.

O verde dá equilíbrio e acalma nossas emoções; o azul também é uma cor calmante e permite que a pessoa relaxe e seja mais otimista, confiante. O amarelo traz alegria, desperta a criatividade e melhora o humor.

Podemos citar ainda as funções das outras cores, como o vermelho que é estimulante, dá energia e vitalidade. O laranja aumenta nossa autoestima e coragem; já o violeta é a cor da mudança, renova as forças internas e transmite sensação de liberdade. O índigo/anil é anestésico e proporciona ainda relaxamento e paz.

Vale destacar que as terapias integrativas são complementares e não substituem o tratamento médico e psicológico.

*Elisa Henna é  terapeuta holística e faz parte da Diretoria da APMDFESP – Associação dos Policiais Militares Portadores de Deficiência do Estado de São Paulo.  

Font Resize