Dia Nacional do Idoso: Data reforça compromisso em melhorar qualidade de vida para terceira idade

Realidade vivida em todo mundo, a população está cada vez mais idosa. De acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), a quantidade de pessoas com idade superior aos 60 anos será de 2 bilhões até 2050.

O Brasil, até 2016, conforme o Ministério da Saúde, era o quinto país no ranking de maior população idosa do mundo e previsão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) indica que o número de pessoas na terceira idade em 2030, ultrapassará o total de crianças entre zero e 14 anos.

Não é à toa que neste Dia Nacional do Idoso, comemorado no dia 1º de outubro, políticas públicas e privadas para melhorar a qualidade de vida nestas faixas etárias (a partir dos 60+) são reforçadas.

São desafios que não foram resolvidos no país, dentre eles, o incentivo e ampliação do mercado de trabalho para as pessoas acima de 60 anos, melhores condições nas redes de cuidados e a redução do preconceito, inclusão social e melhor acessibilidade para este público.

Alternativas simples que podem ser colocadas em prática auxiliam as pessoas de idade mais avançada em tarefas simples do dia-a-dia, como fazer compras, por exemplo.

Com o passar dos anos, as pessoas ganham mais experiência e também podem ter certas dificuldades. O envelhecimento pesa para muitos na locomoção, os sentidos – audição, paladar, visão, tato, olfato – podem sofrer alterações.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Geriatria, pesquisadores da Universidade de Chicago realizaram um estudo de base populacional de adultos com idade entre 57 e 85 anos e coletaram informações sobre os sentidos dos participantes. Dentre as conclusões estão que 94% dos acompanhados experimentaram perda de pelo menos um dos seus sentidos, 67% tinham duas ou mais perdas sensoriais.

Portanto, atividades comuns na rotina das pessoas com 60+ se tornam mais difíceis, muitas vezes. É, com base nesta sensibilidade de proporcionar mais cuidado, mais acessibilidade ao público idoso, que a Inclue – startup voltada para melhor experiência no varejo para pessoas com deficiência e da terceira idade – visa promover a capacitação das lojas e profissionais do setor para o melhor atendimento e garantir ao público específico o agendamento de dia e horário no estabelecimento comercial.

A tecnologia também é aliada, já que é possível garantir esse atendimento exclusivo por meio de um aplicativo para smartphones de forma descomplicada.

“Um olhar com mais carinho, um cuidado na hora de apresentar os produtos. A ajuda para carregá-los, o apoio para ler e apresentar os preços em prateleiras, a forma correta de atender os idosos e também o público PCD”, detalha o objetivo da Inclue, Rodrigo Piris, sócio proprietário da startup.

“É preciso cobrar políticas públicas de melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa, mas é também fundamental que o setor privado invista em ações, em capacitações para melhor atender as pessoas. Afinal de contas, todos nós envelhecemos e como queremos ser atendidos quando tivermos mais idade?”, conclui Sonny Pólito, sócio proprietário da Inclue.