É preciso permitir à criança ser criança

Outubro, mês das crianças. Instituída pelas Nações Unidas, a comemoração tem como objetivo chamar atenção para os problemas relacionados. Observamos diversas promoções espalhadas realçando um reluzente universo infantil. Pimpolhos das mais variadas classes recebendo os mais variados presentes. Brinquedos, jogos eletrônicos, tênis bacana, roupas legais. Nenhum, no entanto, representa a essência do dia a dia, principalmente quando falamos de uma criança com deficiência.

No mês das crianças, a criança com deficiência continua no seu universo invisível, mergulhada em suas terapias e suas dificuldades. Apesar das inúmeras políticas públicas e discussões em prol, a sociedade continua sem enxergar a realidade que se desenha. Criança com deficiência também ganha presentes na data especial, mas brinca sozinha. Dá muito trabalho convidar, cuidar, exercitar a imaginação, passear, incluir. Mais simples é ignorar ou afirmar que “são desígnios de Deus”. Aproveitam para endeusar, chamar de anjo, de herói, de guerreiro. E de criança, quem chama ?

A Lei Brasileira de Inclusão afirma que “a pessoa com deficiência tem direito a cultura, ao esporte, ao lazer em igualdade de oportunidade com as demais pessoas” (Art.42). Uma pessoa querida, precisando resolver assuntos em um centro comercial, deixou o filho autista sob o encargo de um espaço lúdico infantil, desses contratados por hora. A informação para os pais é o serviço era destinado às crianças de 5 a 10 anos. Menores poderiam brincar no ambiente desde que estivessem sob a supervisão constante do responsável. O garoto, no caso, tinha 6 anos. Segundo a lei e as normas do estabelecimento ele estaria apto a brincar sem demandar a presença da mãe. Avisados sobre o TEA, porém, se recusaram permanecer com a criança desacompanhada. Questionada, a profissional alegou que não estavam preparados para isso.

É fácil incluir com ideias, posts nas mídias sociais e frases de efeito. Difícil é reconhecer situações em que você é o agente do preconceito.

O que toda criança quer ser afinal ? Criança !