Em Campo Grande / MS, Associação Juliano Varela oferece “Programa do Nascer ao Envelhecer” para pessoas com síndrome de Down

Associação Juliano Varela

A Associação Juliano Varela foi criada com o objetivo de promover programas para o desenvolvimento das pessoas com Síndrome de Down.

A Diretora da Associação, Malu Fernandes, em entrevista disse que a Síndrome de Down é um acidente genético que pode acontecer com qualquer pessoa ao engravidar.

“A criança com Síndrome de Down sofre com uma desorganização neurológica que promove atrasos na fala, no andar, no pensar e outros atrasos que ao longo da vida traz algumas diferenças”, explicou.

A diretora da instituição é mãe de Juliano Varela, que nasceu com Síndrome de Down. Ela conta que recebeu a ajuda de pessoas especiais e com isso nasceu a Associação.

“Há 28 anos quando o Juliano nasceu, eu tive uma pessoa que esteve no hospital, viu a minha situação, que era bem mais difícil naquela época e resolveu juntamente com a sua família, pagar todo o tratamento do meu filho”, contou.

“Durante dois anos, eu saí de Campo Grande para o Rio de Janeiro para aprender a estimular o meu filho e minimizar esses atrasos. Quando ele fez dois anos, teve alta, e a família que me ajudou a tomar a decisão de abrir a Associação Juliano Varella para atender as crianças que tivessem a Síndrome em Campo Grande/MS e não possuíssem condições de realizar o tratamento fora”, completou.

Malu comentou ainda, como foi importante a abertura da Associação. “Foi uma grande dádiva para todas as famílias que têm Síndrome de Down em Campo Grande e hoje já atendemos alguns municípios do interior que podem vir até a cidade para buscar esse conhecimento para estimular o seu filho”, afirmou.

A Associação possui o Programa do Nascer ao Envelhecer, que atende o bebê desde o nascimento até a sua terceira idade com programas específicos para cada faixa etária.

Assine nossa Newsletter

Newletter

A instituição também atende crianças com autismo e microcefalia. “Quando a associação completou 25 anos, a diretoria se reuniu e tomou a decisão de ampliar o nosso atendimento, começamos então a atender pessoas com autismo, microcefalia e outras deficiências intelectuais”, disse a diretora.

“Estamos com muita disposição para avançarmos em tecnologia, em recursos pedagógicos para realmente mudar a vida das pessoas com autismo, da mesma forma que conseguimos mudar a vida das pessoas com Síndrome de Down. Atendemos mais de 500 alunos e conseguimos ver eles sendo incluídos no mercado de trabalho”, comemorou.

Malu comentou sobre a preocupação que a Associação tem em ajudar as famílias a obter um laudo para um autista. “ Temos nos preocupado muito em antecipar esse tempo que a família leva para laudar um autista e as mães vem do interior para conseguir esses atendimentos que agora com a pandemia ficou mais difícil. A Juliano Varella oferece o atendimento com todos esses especialistas, facilitando o fechamento do diagnóstico”, explicou.

A diretora ressaltou que os atendimentos são oferecidos gratuitamente e agradeceu a todos que ajudam a instituição a se manter de pé.

“Somos muito gratos a Deus e as pessoas que nos ajudam, temos homens e mulheres que destinam emendas parlamentares, temos convênios com o Governo do Estado e o Governo Federal, além do convênio com a Energisa que é o nosso suporte, onde as pessoas podem ter descontado na sua conta de energia o valor que ela quiser para ajudar a associação”, finalizou.

Doações podem ser feitas nos telefones 67) 3201-6199 / (67) 3026-8828 / (67) 99972-0405

Para conhecer melhor a Associação, acesse: https://www.institutodevolver.org.br/

Fonte: www.acritica.net