Em Jundiaí/SP, Programa de Atenção ao Envelhecimento da Apae incentiva o contato dos usuários com a natureza

O Programa de Atenção ao Envelhecimento atende pessoas com deficiência intelectual acima de 35 anos. (Foto: Divulgação)

Desde a chegada da primavera, os usuários do Programa de Atenção ao Envelhecimento da APAE de Jundiaí, SP, participam de uma atividade popularmente conhecida como Onze Horas. Eles fazem o plantio de sementes de flores com o objetivo de incentivar o contato dos usuários com a natureza.

De acordo com a coordenadora de Assistência Social, Adriana Azevedo, o desenvolvimento da comunicação, identificação de potencialidades, o cuidado, o respeito e o sentimento de pertencimento foram os objetivos atingidos com a tarefa.

No programa são explorados novos hábitos, conhecimentos voltados ao meio ambiente e a beleza da estação, usando o processo desde o plantio e crescimento da planta até seu florescimento como paralelo para as relações interpessoais dos usuários.

“Trabalhamos com eles a importância que fatores como a responsabilidade, o cuidado e o respeito têm no crescimento dessas relações que iniciam em nossas vidas como simples sementes e com os cuidados necessários se transformam em lindas flores. Foi uma experiência incrível”, explicou a coordenadora de Assistência Social.

O Programa de Atenção ao Envelhecimento atende pessoas com deficiência intelectual acima de 35 anos e busca desenvolver ações que visam a inclusão, habilitação e reabilitação da pessoa com deficiência intelectual de tal forma que permitam o resgate de sua cidadania, integrando-a na sociedade, conforme suas necessidades e habilidades.

O programa é desenvolvido na APAE de Jundiaí, interior de São Paulo, em parceria com a Unidade de Gestão de Assistência Social – UGADS – Prefeitura Municipal e atualmente atende 39 usuários nas especialidade de Psicologia, Terapia Ocupacional com apoio de Orientador Social e Assistência Social.

Fonte: www.tribunadejundiai.com.br

Sair da versão mobile