Empresa aérea é multada após proibir embarque de cadeirante

Mesmo com regras da União Europeia, Easyjet tem o segundo caso de multa por recusa de embarque de cadeirantes

Em 26 de fevereiro de 2017, a empresa Easyjet recebeu a sentença de multa de 60 mil euros por, em 2010, em Biarritiz (França), ter se recusado a embarcar um cadeirante. A companhia aérea alegou questões de segurança para tal ação.

O passageiro era Joseph Etcheveste, 55 anos. Ele estava desacompanhado no momento do embarque, o que caracterizava um “perigo’ para a Easyjet. De acordo com a advogada de Joseph, Anne-Marie Mendiboure, “a empresa recusou o embarque dele alegando que isso acarretaria problemas de segurança, mas até hoje a companhia não soube explicar quais seriam esses problemas”. A Easyjet se defende afirmando que cumpriu normas internas.

Esse é o segundo caso de recusa de embarque de pessoa com deficiência da empresa: em dezembro de 2015, ela foi multada em 70 mil euros pela proibição do embarque de três passageiros, alegando, novamente, problemas de segurança. 

Font Resize