Equador tem forte candidato cadeirante para a presidência

Se ganhar, Lenín Moreno será o pioneiro na América Latina. Eleição acontece em 2 de abril.

Lenín Moreno tem 63 anos e recebeu esse nome em homenagem ao líder russo. Foi vice-presidente entre 2007 e 2013, e agora está perto de ser o primeiro presidente cadeirante da América do Sul.

O sistema eleitoral equatoriano é um pouco diferente do nosso país: se um candidato tem mais de 40% dos votos e o segundo tem 10% de diferença, já não há a possibilidade de segundo turno. Numa primeira eleição já realizada, em apuração prévia de 90%, Lenín teve 39,4% de votos, contra 30,5% de seu adversário, o ex-banqueiro Guillermo Lasso.

Lenín comemorou o resultado e se mostrou confiante que não haverá segundo turno após a eleição de 2 de abril. Neste dia, os dois candidatos se enfrentarão nas urnas e, de acordo com as pesquisas de intenção de votos, a continuidade de um governo esquerdista deve permanecer. 

Font Resize