Escadarias Charmosas!

escadarias

Por Roberto Rios

Veja bem… “Veja bem” é o início de conversa daquele que quer explicar alguma coisa que não cheira bem ou que não convence. Um tipo de argumentação, no mínimo, falsa. O famoso “embromation”.

Então… Veja bem… não sou chegado a viagens, embora saiba, e todo mundo fala, que a gente adquiri conhecimento visitando outros lugares, outros países, outras culturas, viajando. Prefiro ficar por aqui, no aconchego do meu lar, fico com o conforto da minha cama, minha comidinha caseira, conheço bem o meu ambiente etc.. etc…..

Ah, sem falar que é menos cansativo. Vejo as pessoas que voltam de umas férias maravilhosas em outros países e quando chegam de volta, a primeira coisa que falam é: “preciso descansar”… Não entendo. Tá vendo ?!? Mentira… Não viajo porque morro de medo de avião. Cagaço mesmo ! Dos grandes, de verdade ! Tenho inveja daqueles que entram no bichão felizes, rindo à toa e sobem lá para o céu e nem arrepio sentem… nada daquela “fechadinha de não passar nem agulha”, habitual, típica do medão ! Por tudo isso, sou viciado nos programas de viagens (quem não tem cão, caça com gato)… afinal, vejo pela TV e não preciso pegar avião.

Sou ótimo na imaginação, consigo quase me colocar no ambiente das imagens. Lugares maravilhosos de norte a sul de leste a oeste. Pirâmides, torres, castelos, muralhas, parques, hotéis, restaurantes, teatros, casas chiquérrimas e muito mais… A grande maioria procurando estar em lugares altos, bem altos, como uma imitação da Torre de Babel, procurando uma proximidade com Deus. Quem mais procura, desesperadamente, por essa intimidade com o divino são as igrejas. Noventa por cento delas ficam nos pontos mais altos das cidades, e como se não bastasse, ainda elevam as construções vários metros acima do nível do chão.

Ai, o que mais aparece nessas suntuosidades ? Sim… as grandes escadarias, óbvio. Nada melhor do que adentrar à estas magnificências com glamour. Subir, subir até quase perder o folego, afinal, quem não quer ficar lá no alto e acompanhar o raciocínio do projetista e se sentir mais próximo do céu (assim meio amiguinho do chefe) ? Fora as belezas que se encontra no ambiente…

Acho que esses engenheiros construtores são muito espertos, sabiam desde o início da humanidade que o homem tem sede de poder, estar nas alturas, gosta de se sentir importante, contar para os amigos: “olha, eu fui lá em tal lugar… é lindo, e a vista então…”.

Será que a mania começou com a Torre de Babel ? Lá tinha escadas ? Não sei…

Mas, as pirâmides ! Essas sim, só escadas, começam largas e terminam lá no alto, estreitinhas. Poxa, quanta escada, cansa só de olhar !

Vamos para um tempo mais próximo: os castelos. Quantas escadas !?! Fico tonto só de imaginar. Hoteis, restaurantes, casas monumentais com aquelas escadas lindas !

Escadas duplas que se unem lá na ponta… escadas largas, escadas em curva, escadas que se cruzam, escadas com passagem por baixo, escadas cobertas e por ai vai… com corrimão, com pedras raras, quanta criatividade… Não sei porque, mas perdi a vontade de viajar. Sei sim… é que SOU CADEIRANTE !!!!

Preciso voltar no tempo pelo menos cinco mil anos e explicar para os espertos que rampas também sobem e descem. E podem ser lindas também… sem falar que deveriam dar menos trabalho para construir com os escassos recursos tecnológicos da época. Ah… mas tem um detalhezinho: não podem ser na parte de traz do edifício e nem do lado… e muito menos “improvisadinha”, como costumamos achar muitas por aí.

Acho que tentaram fazer uma rampa na Torre de Pisa, e ainda seria de mármore, mas, não deu muito certo.

E os Alpes Suíços ? Que maravilha ! Esse pelo menos é todo feito de rampas, também, não é para menos, o “construtor” foi o melhor. Lá sim tem rampas lindas, branquinhas, geladinhas, fofinhas… pena que só descem… Tenho o direito de “também” subir com pompa… “também” me sentir importante… ou não ?

Mas, como não posso voltar no tempo, posso explicar para os atuais “gênios da construção” como pode ser charmosa uma rampa, e que hoje, existe um negócio chamado “Desenho Universal”.
Ohh !!! Que legal !!! Podemos fazer rampas lindas !!! Assim como as escadas… Também em curva, retas, cobertas, que se cruzam, com pedrinhas de brilhantes etc… etc… etc. Atendendo todas as necessidades e criatividades. Porém, rampas e não escadas !

Aí, com certeza não terei mais desculpas para não viajar. Vou precisar só de 10 doses de whisky para entrar no avião e seja o que Deus quiser !
Mas uma coisa é certa: detesto escadarias charmosas !!!!

Roberto Rios é jornalista, cadeirante e apresentador de TV.
E-mail: [email protected]