Escola Crescer de Educação Especial, credenciada A UNESCO, se destaca em SP

Antes mesmo da CRERSER surgir como instituição formalizada, em 1998, Cristiane Aparecida Martin Bianco e outra sócia, atendiam alguns poucos alunos, com deficiências, em tratamento psicopedagógico, enfatizando a construção social e emocional destes sujeitos.

A casa, durante esse período, apresentava duas salas de aula, um banheiro, uma cozinha e uma sala de jogos e televisão. No mesmo espaço também era realizado o trabalho de pintura.

Uma era responsável por uma sala de aula com 5 alunos, que apresentavam condições pedagógicas de 1ª e 2ª séries; a outra possuía uma sala com 3 alunos que apresentavam distúrbios de comportamento.

Em 2000, com mais alunos e sem condição de continuarem naquele espaço, foi formalizado o Núcleo Terapêutico CRERSER – Instituição de Educação Especial que acabou se mudando para uma casa na Rua Silva Jardim, em São Bernardo do Campo/SP.

Cristina relembra que: “lá tínhamos mais espaço. Eram 6 salas de aula, um grande corredor e um belo refeitório, além de um ateliê de pintura. Em dois anos nosso número de alunos foi crescendo e em 2001 mudamos para o endereço atual. Um espaço bem mais amplo. Ganhamos mais salas de aula e nosso trabalho foi crescendo”.

Em 2003, tornou-se uma Instituição devidamente regulamentada pela Diretoria Regional de Ensino do município (de 1ª a 4ª série do Ensino Fundamental I).

Em 2010 a Instituição passou por uma reformulação e a direção ficou com as irmãs Cristiane, Mariana Freitas Martin Bianco Reina e Camila Freitas Martin Bianco.

De acordo com a dirigente Camila: “acreditamos na Inclusão Social e exercitamos esta atividade através de passeios e acampamentos. Desenvolvemos o trabalho de autonomia e autocuidado, buscando a evolução plena de cada aluno. Nossa proposta pedagógica se dá através de um Plano Individualizado de Ensino, currículo funcional e o uso de estratégias específicas para os alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA)”.

A instituição atende alunos do ensino regular que não se adaptam ao processo de inclusão, apesar de acreditarem na importância do processo inclusivo. Nesses casos, há um auxilio para esses alunos para que em breve retornem ao Ensino Regular com novas oportunidades.

Mariana Bianco afirma que: “com o crescimento da Crerser, nossa equipe passou a ser formada por Fonoaudiólogos (Especialistas em comunicação alternativa e motricidade oral), Psicólogos (Analista do Comportamento), Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional e Enfermeira. Todos trabalhando no sentido de viabilizar melhores condições para atendimento pedagógico do grupo”.

“Com a evolução do nosso trabalho, com o crescimento de nossa equipe e espaço físico, o ano de 2005 foi marcante para todos nós”, afirma Cristiane, fundadora do Núcleo.

A CRERSER foi agraciada com o prêmioMelhores dos Melhores de 2005” do Setor Educacional, premiação oferecida pela Revista Livre Mercado. O Núcleo concorreu com 79 empresas e instituições do Grande ABC Paulista.

Em 2014 o Núcleo iniciou uma parceria com a “Unidade Vivência”. A instituição conta na UNIDADE 1 com uma estrutura física de 800 m², atendendo quase 168 alunos, distribuídos em dois períodos e 17 salas de aulas.

Na UNIDADE 2 oferece outra estrutura com 300 m², atendendo mais de 60 alunos, distribuídos em dois horários e 7 salas de aulas.

Na Educação Infantil os estudantes encontram o lema ‘Um passo de cada vez’. No Ensino Fundamental o lema é ‘Reforçando nosso compromisso’ e a Estimulação é ‘Evoluindo com o tempo’.

De toda essa enorme estrutura, 80 % dos alunos são do ABC e Grande São Paulo através da parceria firmada com o Governo do Estado de São Paulo. Outros 15 % são destinados para estudantes que participam do convênio com a Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo/SP e as demais vagas são preenchidas através de alunos particulares.

São quase de 100 profissionais que compõe o Núcleo. O tema de trabalho em 2018 foi Mudanças Climáticas. No próximo ano a instituição deve trabalhar as línguas indígenas.

Mantenedora de escola, Mariana afirma que: “almejamos que o indivíduo conheça o mundo e que o mundo o conheça; que priorize as pessoas e não as coisas e que descubra que o contato com o outro é que vai fazer com que ele conheça a si mesmo”.