Escola de Impacto forma jovens empreendedores sociais e tem como mentores time de peso

Nada de aulas de matemática, história ou química. A Escola de Impacto vai muito além das lições convencionais. Criado pela OSC Turma do Jiló e pelo Instituto Serendipidade, duas instituições que promovem a inclusão e a diversidade, o projeto forma jovens capazes de transformar a sociedade e torná-la mais justa através do empreendedorismo social. Voltada para adolescentes de 14 a 18 anos que pretendem desenvolver habilidades socioemocionais e competências de liderança, a Escola de Impacto  recebe jovens de todo o Brasil,  com ou sem deficiência, alunos da rede privada ou aprendizes de programas empresariais. Uma nova turma começou no início de março.

Com duração de dois anos, a iniciativa  ajudará os jovens a despertar seus propósitos de vida, com foco na ajuda ao próximo e na construção de um mundo melhor. Mas não é só. Ao término da formação, que, além de aulas e oficinas especializadas, conta com a mentoria de grandes especialistas, os alunos também poderão colocar em prática tudo que aprenderam. Os projetos desenvolvidos pelos adolescentes serão apresentados a uma banca avaliadora e poderão ser implementados ou ganhar algum tipo de fomento.

O time de especialistas que vai compartilhar conhecimento com os alunos têm vasta experiência na construção de pontes entre a sociedade, o poder público e o mundo corporativo. São nomes de destaque, como Edu Lyra (Gerando Falcões), Geyze, Ana Maria e Abílio Diniz (Instituto Península), Elie Horn (Instituto Cyrela), Rony Meisler (Reserva), Priscila Cruz (Todos Pela Educação), Celso Athayde (CUFA), Carlo Pereira (Pacto Global), Diego Calegari (Politize), Caroline Celico (Fundação Amor Horizontal), Sid Efromovich e Marina Feffer (Generation Plegde), Tatiana Sayeg e Paula Batista (TDJ), entre outros.

“Queremos ver cada vez mais jovens engajados em causas relevantes, de propósito social que possam agregar valor em setores que necessitam de atenção no nosso país. Ao participar da Escola de Impacto, esses adolescentes poderão conhecer a realidade de muitos brasileiros e desenvolver projetos para ajudar aqueles que mais precisam e a si mesmos, tornando-se futuros empreendedores sociais”, diz Carolina Videira, idealizadora do Turma do Jiló.

Henri Zylberstajn, fundador do Serendipidade, acredita que “sensibilizando a juventude de hoje, temos a segurança de um futuro melhor amanhã. Nossa ideia é formar a próxima geração de filantropos e empreendedores sociais de impacto do Brasil”.

Em um ambiente de ensino moderno e atraente, os alunos, durante o primeiro ano da Escola de Impacto, são separados em grupos, de acordo com a idade, para a participação em oficinas on-line. Os temas variam  e contemplam áreas  como direitos humanos, educação política, inclusão e desigualdade social, racismo, cultura de doação e filantropia. Também são oferecidas lições sobre preconceito, saúde mental, economia circular e sustentabilidade para que os alunos possam entender a fundo as demandas e problemas sociais do Brasil. Jovens com deficiência também participarão desta formação, que inclui ainda saídas a campo – os chamamos trabalhos voluntários guiados – um grande instrumento de sensibilização e concretização do estudo.

Já no segundo  ano de formação, que termina com o desenvolvimento pelos jovens  de projetos inovadores e de impacto social nas áreas em que desejarem, o foco condutor será a metodologia de design thinking, que permite trabalhar e consolidar muitas das habilidades necessárias para que os jovens consigam ser agentes da transformação.

Sobre a Turma do Jiló

Fundada em 2015 pela empreendedora social Carolina Videira, a Turma do Jiló é uma OSC especializada em ações em prol da inclusão. Além de promover cursos de capacitação inclusiva, assegura atendimentos psicossociais, jurídicos e assistenciais para famílias que necessitem de apoio. A entidade trabalha pela diversidade e entende os cuidados que as organizações devem tomar com os profissionais com deficiência, além de ter colaboradores treinados para a diversidade. Com o intuito de apoiar as empresas neste processo, foi criado um ciclo de cursos e workshops on-line que busca explicar o que é a diversidade sob diversos pontos e perspectivas.

 

Sobre o Projeto Serendipidade

O Instituto Serendipidade é uma entidade que atua na inclusão de pessoas com deficiência intelectual, buscando transformar o olhar da sociedade para o tema inclusão. A ONG desenvolve ações de comunicação e conscientização direcionadas a pessoas com e sem deficiência e que objetivam acabar com os preconceitos existentes em nossa sociedade.  A atuação do Serendipidade se dá, em todo o Brasil, a partir de programas próprios e de uma extensa rede de entidades parceiras,