Férias em Salvador

Salvador/BA sempre esteve nos meus planos, mas também posterguei muito porque sempre ouvi que não era uma cidade para cadeirantes.

Tenho tentado nos últimos anos ser mais corajosa, me aventurar e fazer coisas que “normalmente” não faria, afinal como disse o arquiteto Oscar Niemeyer: “Tanto faz ser feliz ou infeliz, a vida é um sopro, um minuto…”, e eu completo dizendo que temos que aproveitar. Juntei a minha vontade a da minha amiga Gio e em julho seguimos rumo a Bahia.

Como sempre é preciso o mínimo de planejamento, desde a compra das passagens usando o FREMEC, possibilitando assim que meu acompanhante tenha desconto. Depois a escolha fica por conta do hotel, sempre confirmando através de alguns telefonemas e pedido de fotos recebidas via e-mail, a confirmação do quarto e do banheiro serem acessíveis.

Outra decisão importante foi alugar uma cadeira de banho com braços removíveis, já que a do hotel tinham braços fixos, o que impossibilita a transferência.

Optei pelo transporte via aplicativo, porque mesmo a cidade tendo veículos adaptados que podemos usar, o preço cobrado tornou para mim inviável.

A praia é uma opção, não a única, e mesmo não sendo acessível fomos à Praia da Boa Viagem, do ladinho da Ponta de Humaitá. Sempre tem alguém disposto a carregar e puxar a cadeira areia adentro. O Largo do Bonfim foi todo reformado e é muito tranquilo andar com a cadeira e há uma rampa na lateral da igreja que dá acesso ao interior dela.

Foram dias lindos que eu vivi com muita alegria, choveu, fez frio (sim em Salvador/BA fez frio), mas nada disso atrapalhou.