Flavio Otoni: Cantor vem quebrando paradigmas no cenário musical

Como um CODA, um acrônimo para os “Filhos de Pais Surdos” – CODA é a sigla em inglês para Children of Deaf Adults, ou seja, criança ouvinte com pais surdos – o cantor Flavio Otoni vive numa complexa planície cultural entre o mundo surdo e o ouvinte.

Nascido em Campo Grande/MS, o cantor de 28 anos surpreendeu a mãe, Leila Fátima Otoni de Oliveira, de um jeito emocionante.

Leila Otoni, pessoa com deficiência auditiva, sentia as músicas do filho através dos sentidos, da vibração, da dança e das imagens coloridas no fundo do palco. A mãe aprendeu LIBRAS recentemente. Até então, a comunicação entre os dois era básica: por gestos e leitura labial.

Após 15 anos do início da sua carreira, Flavio vendeu sua casa para investir na gravação de seu primeiro DVD – Assunto Preferido – que aconteceu no início do segundo semestre deste ano em Goiânia/GO, onde Flavio mora há cinco meses com a esposa e a filhinha.

O lançamento chega com grande ascensão, pois é um projeto inédito e completo de inclusão através da LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais.

O cantor prova, a cada dia, que sua música não tem fronteira. O carinho dos fãs pelo trabalho já ganhou o meio internacional. Portugal e Angola já veicularam a história de amor e inclusão. No Brasil, o cantor já conquistou nomes do meio artístico e recebeu apoio de Vitor Kley, Tiago Abravanel, Gabriel Diniz, Ferrugem e Sidney Magal.

O lançamento vem acompanhado de muito romantismo, música alegre e dançante. “A ideia surgiu em homenagear minha mãe. Sempre vivi com a contradição. Eu canto desde menino e apesar dela sempre me apoiar ela nunca me ouviu, nem se quer uma música. Sempre busquei esse milagre através da medicina e aí quando decidi gravar meu primeiro DVD tive a vontade de formalizar minha gratidão de forma que alcançasse minha mãe”, revelou Flavio.

Diz o cantor que ser um CODA mostrou-lhe o caminho de uma comunicação diferenciada. O retorno do público não parece ser diferente do esperado. Surdos e ouvintes acompanham a carreira através das redes sociais e estão presentes nos shows.

Em uma apresentação, realizada com tradução em LIBRAS, um fã surdo presenteou o artista com uma camisa pintada manualmente de uma foto com o seu rosto, mãos simbolizando a Língua Brasileira de Sinais e notas musicais. Bastante emocionado, Flavio vestiu a camisa no palco e agradeceu o carinho.