Goleada no goalball e oito finalistas na natação: como foram os brasileiros na primeira manhã de Jogos de Tóquio

O nadador Daniel Dias após o termino da sua prova no Centro Aquático de Tóquio
Alê Cabral/CPB

O Brasil estreou com 30 atletas em cinco modalidades na primeira manhã dos Jogos Paralímpicos de Tóquio.  No goalball masculino, o Brasil, atual bicampeão mundial da modalidade, goleou a Lituânia, campeã paralímpica nos Jogos do Rio 2016, por 11 a 2, na Makuhari Messe Hall. Os gols brasileiros foram marcados por Leomon (3), Romário (4), Parazinho (3) e Emerson.

“O adversário é uma equipe muito qualificada, com vários títulos mundiais e medalhas paralímpicas. Estrear com vitória em cima da Lituânia foi muito importante para a nossa confiança. A gente consegue ter um termômetro de como está o nosso treinamento”, disse Leomon, da classe B1. O atleta perdeu a visão quando ainda era um bebê, por conta de uma retinose pigmentar.

O Brasil começou a partida, considerada uma final antecipada da modalidade, com o trio formado por Leomon Moreno, Parazinho e Romário Marques. O brasiliense Leomon abriu o placar. Dois minutos depois, a Lituânia igualou o marcador com Genrik Pavliukianec.

“Desde 2016, a Lituânia está entalada porque perdemos para eles dentro de casa. Trabalhamos cinco anos muito forte para que essa estreia fosse como uma final para nós. A gente se preparou muito bem mentalmente, sabendo que tem uma torcida muito grande acompanhando o goalball”,  contou Parazinho, da classe B3.  O atleta nasceu com distrofia no nervo ótico.

O segundo gol brasileiro foi do Romário. A partir deste momento, a Seleção Brasileira começou a mostrar a sua superioridade no duelo, ampliando o placar por penalidades com Leomon e  outra vez Romário. A primeira metade da partida terminou 4 a 1 para o Brasil.

No segundo tempo, a Seleção Brasileira, então, passou a ter um domínio ainda maior. O ala Parazinho marcou três gols consecutivos e o Brasil chegou a fazer 7 a 1. A Lituânia até diminuiu o placar, com Marius Zibolis, mas o Brasil fechou a partida em 11 a 2.

“A equipe está de parabéns pela defesa que nós fomos construindo, naturalmente, durante o jogo. No goalball não tem segredo: uma defesa forte, humildade e pé no chão para conseguir esse ouro”, declarou Romário, da classe B1, que perdeu a visão em consequência de uma retinose pigmentar.

“Passamos por momentos difíceis. Foram seis, oito meses sem treinar por causa da pandemia, mas conseguimos nos reinventar. A nossa resiliência foi muito grande para chegar até aqui e iniciar dessa forma. Cada degrau que a gente vai subindo é uma conquista. E vamos fazer uma final por cada jogo”, disse Leomon.

O atleta concluiu: “É uma grande emoção. Não só pra gente que está aqui, mas para todos em casa. Principalmente para a comunidade do goalball, que deve estar explodindo de felicidade. Estamos muito felizes e agradecidos. Vamos fazer o nosso melhor aqui para proporcionar muita alegria e diversão a quem estiver nos assistindo. ”

A Seleção Brasileira masculina de goalball volta para a quadra na próxima quinta-feira, 26, à 1h15 (horário de Brasília), e enfrenta os Estados Unidos – medalha de prata no Rio.

Natação

A equipe brasileira de natação também estreou nos Jogos. Dos catorze nadadores brasileiros que disputaram as classificatórias no Centro Aquático de Tóquio, sete avançaram às finais – além de José Ronaldo, que se classificou diretamente (veja mais abaixo). As disputas por medalhas começarão às 5h (de Brasília) desta quarta-feira, 25.

Destaque para a prova masculina dos 100m borboleta, na classe S14 (para atletas com deficiência intelectual), na qual o recorde paralímpico foi batido três vezes. O primeiro a fazer o melhor tempo de todas as edições do megaevento foi o australiano Liam Schluter, fechando a prova em 58s38. Na segunda bateria, o brasileiro Gabriel Bandeira nadou em 56s78, estabelecendo uma nova marca nos Jogos. Na terceira e última bateria, o britânico Reece Dunn finalizou os 100m em 55s99, superando o tempo de Gabriel.

Maior medalhista paralímpico brasileiro, com 24 pódios (10 medalhas de ouro, sete de prata e três de bronze), Daniel Dias fez o terceiro melhor tempo nas classificatórias nos 200 m livre (classe S5) e foi um dos atletas do país a conquistar uma vaga nas finais da natação.

Já José Ronaldo da Silva não disputou as classificatórias, pois na prova dos 100 m (classe S1 – atletas com as maiores limitações físico-motoras) só há sete competidores. Todos se classificaram diretamente para a final.

Confira os resultados dos brasileiros que irão disputar as finais:

 

NomeProvaPosição geral na classificatóriaTempo
Gabriel Geraldo dos Santos Araújo100m costas (S2)02:09.73
Gabriel Bandeira100m borboleta (S14)56.78
Phelipe Andrews Melo Rodrigues50m livre (S10)23.74
Mariana Gesteira50m livre (S10)28.41
Douglas Matera100 m borboleta (S13)58.66
Daniel Dias200m livre (S5)2:45.16
Carol Santiago100m borboleta (S13)1:07.30

Tênis De Mesa

Os mesa-tenistas brasileiros também iniciaram a jornada nos Jogos Paralímpicos de Tóquio neste primeiro dia de competições. Foram duas vitórias: Cátia Cristina (classe 2) venceu a finlandesa Aino Tapola por 3 sets a 1, enquanto David Andrade (classe 3), por W.O, derrotou o sueco Alexander Oehgren.

Na noite desta quarta-feira, 25, às 23h40 (horário de Brasília), Cátia enfrentará a polonesa Dorota Buclaw (classe 1). Já David vai encarar o tailandês Yuttajak Glinbancheun, na quinta-feira, 26, às 8h.

 Veja todos os resultados da delegação do Brasil até o momento:

Danielle Rauen 1 x 3 Alexa Sztavacs (Hungria)  –  Classe 9 (andante)
Marliane Amaral Santos 0 x 3 Jiyu Yoon (Coreia) –  Classe 3 (cadeirante)
Jennyfer Marques Parinos 0 x 3 Li na Lei (Austrália) – Classe 9 (andante)
David Andrade de Freitas venceu por W.O o sueco Alexander Oehgren – Classe 3 (cadeirante)
Luiz Felipe Manara 1 x 3 YE Chao Qun (CHN)- Classe 8 (andante)
Lethicia Lacerda 0 x 3 Aida Dahlen (NOR) – Classe 8 (andante)
Aino Tapola (FIN) 1 x 3 Catia Cristina – Classe 2 (cadeirante)

As partidas retornaram às 4h da manhã (horário de Brasília) com Carlos Alberto Junior x Mateo Boheas (FRA). Confira as outras partidas que ainda serão disputadas pelos atletas brasileiros no tênis de mesa:

04h00: Carlos Alberto Junior x Mateo Boheas (FRA) –  Classe 10 (andante)
5h20: Milena dos Santos x Rui Wang (CHN)  – Classe 7 (andante)
07h20: Masachika Inoue (JAP) x Israel Stroh – Classe 7 (andante)
08h00: Welder Knaf x Ping Zhao (CHN)  – Classe 3 (cadeirante)
08h00: Danielle Rauen x Neslihan (TUR) – Classe 9 (andante)
08h00: Jennyfer Parinos x Kun-Hea Marques (COR) – Classe 9 (andante)
08h40: Joyce de Oliveira x Gu Xiodan (CHN) – Classe 4 (Cadeirante)

Ciclismo De Pista 

A estreia brasileira no ciclismo de pista foi com a atleta Ana Raquel Montenegro Batista Lins, 30, da classe C5, para competidores com deficiência físico-motora e amputados.

Raquel nasceu com síndrome de Poland, patologia rara que afetou região torácica, braço, mão e região abdominal esquerda. Esta é a segunda participação da atleta nos Jogos Paralímpicos. Em 2016, no Rio de Janeiro, ela competiu no triatlo e, agora, optou pelo ciclismo. Ana Raquel terminou a prova dos 3000 na nona colocação, com o tempo de 4m43s704. 

Esgrima Em CR 

Os esgrimistas gaúchos Vanderson Chaves e Mônica Santos estrearam em Tóquio no sabre, categoria B  (para atletas com menor mobilidade no tronco e equilíbrio).  Ambos finalizaram suas participações na fase de pules, sem vitórias.

Vanderson foi o primeiro a ir para a pista. Foi superado pelo húngaro Istvan Tarjanyi (5 a 1), por Alexander Kurzin, representante do Comitê Paralímpico Russo (5 a 0), pelo francês Maxime Valet (5 a 1), pelo polonês Grzegorz Pluta (5 a 2) e pelo canadense Pierre Mainville (5 a 0).

Logo depois, foi a vez de Mônica, que teve desempenho parecido ao do companheiro de Seleção. Foi vencida pela húngara Blogarka Mezo, pela japonesa Chisato Abe e pela ucraniana Olena Fedota, pelo mesmo placar: 5 a 1. Fez um jogo mais parelho com a representante do Comitê Paralímpico Russo, Irina Mishurova (5 a 3), mas não marcou pontos diante da chinesa Tan Shumei.

Confira os resultados:
Istvan Tarjanyi (Hungria) 5 x 1 Vanderson Luis Chaves
Alexander Kurzin (RPC) 5 x 0 Vanderson Luis Chaves
Grzegorz Pluta (POL) 5 x 2 Vanderson Luis Chaves
Pierre Mainville (Canadá) 5 x 0 Vanderson Luis Chaves
Maxime Valet (França) 5 x 1 Vanderson Luis Chaves
Chisato Abe (Japão) 5 x 1 Monica Santos
Boglarka Mezo (Hun) 5 x 1 Monica Santos
Olena Fedota (UKN)  5 x 1 Monica Santos
Irina Mishurova (RPC) 5 x 3 Monica Santos
TAN Shumei (CHN) 5 x 0 Monica Santos

Transmissão

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 contarão com a transmissão ao vivo dos canais SporTV e da TV Brasil.

Patrocínio

A delegação brasileira tem o patrocínio das Loterias Caixa.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro