Inclusão e Diversidade são prioridades para 76% das empresas, aponta PwC Brasil

Ampliar ações de inclusão nas organizações e aumentar a diversidade nos quadros é uma necessidade no mercado. Apesar disso, 76% das empresas apontam que a diversidade é um valor e prioridade. A diversidade ainda é vista como uma barreira para 33% das organizações.

Os dados estão na Pesquisa Global de Diversidade e Inclusão 2020 da PwC e foram comentados nos debates realizados por especialistas na Semana de Inclusão e Diversidade da PwC. Em cada dia, temas relacionados à geração, gênero, raça e inclusão de pessoas com deficiência no mundo corporativo foram compartilhados pelos participantes.

“As empresas já passaram da fase de questionar se é necessário fazer algo a respeito Inclusão e Diversidade, agora estão se organizando para que o tema não fique apenas no discurso, mas seja incorporado na cultura organizacional, na sua estratégia e no modo como pensam e fazem negócios”, afirma Leandro Camilo, sócio da PwC Brasil e líder em Inclusão & Diversidade.

O escritor, darwinista digital e futurista Carlos Piazza, abriu os trabalhos falando sobre o futuro das carreiras a partir de um olhar diferenciado, com foco em propósito e experiências multifacetadas. Para ele, cada trabalho deve ser desenvolvido ampliando o leque para todas as gerações.

Aos debatedores da PwC, Piazza falou muito sobre a necessidade de se retirar paradigmas e certezas nas formas de trabalhar. Um exemplo é que as carreiras de hoje podem não ser as de amanhã e as do futuro ainda nem existem ainda. Para ele, o modelo híbrido deve ser focado na cocriação e não no trabalho individual.

Álvaro Pereira, sócio da PwC, recepcionou os participantes do painel sobre acessibilidade, e falou sobre a importância da tecnologia para a acessibilidade das pessoas com deficiência.

Cid Torquato, CEO da ICOM Libras, afirmou que a pandemia foi muito ruim para os PCDs, com muitos ficando desempregados, e como muitos não tem acesso a equipamentos tecnológicos, a situação ficou pior ainda. Para ele, é preciso que haja mais políticas públicas voltados aos PcDs para garantir liberdade, independência e oportunidades.

Já no painel Shine Talks, os participantes falaram sobre o futuro fluido e como é importante na vida e nas empresas o entendimento sobre os mais diversos tipos de gênero. Para Bielo Pereira, convidada do debate, as pessoas precisam entender como as outras pessoas se veem para respeitar as diferenças. Isso inclusive influencia no mercado de trabalho, e explicar no dia a dia os gêneros é importante também como ensinamento para as pessoas.

Joana Ivo, advogada e mestre em Equality Law, falou no painel sobre o Futuro Feminino. Durante o debate, as participantes falaram sobre a importância do papel das lideranças nas empresas para mudar a questão da desigualdade de gênero nas corporações, especialmente nos papeis decisivos, e aumentar a participação feminina e negra.

A igualdade salarial também foi tema no painel tido como bastante importante para acabar de vez com as disparidades ainda existentes, mesmo com uma lei em vigor desde 1943 proibindo que homens e mulheres tenham salários diferentes exercendo a mesma função. Outro tema discutido foi a importância da licença-maternidade e da licença-paternidade para a confiança e segurança das mulheres no trabalho. A PwC, por exemplo, oferece licença-maternidade e paternidade estendidas, com 180 e 60 dias respectivamente, além do previsto pela legislação brasileira.

O papel dos negros no mercado de trabalho fechou a Semana da Diversidade, com Eduardo Santos, CEO da EF English, como convidado principal. Para ele, ser um profissional qualificado é sempre muito importante e o aprendizado do inglês e outras habilidades é fundamental para o desenvolvimento profissional.

Quem quiser ver as discussões na íntegra é só acessar o canal da PwC no YouTube: https://www.youtube.com/user/PwCBrasil