Jogos Paralímpicos de Tóquio: Aproveite a competição para levar o Movimento Paralímpico para a sala de aula

Miriam Jeske / CPB
A atenção do mundo está voltada para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 e este é o melhor momento para abordar a importância do movimento paralímpico em sala de aula. Para ajudar a levar o tema para a escola e despertar o interesse dos alunos, o Comitê Paralímpico Brasileiro elencou assuntos importantes sobre o paradesporto de forma informativa e interativa. Confira!

1- Modalidades E Deficiências

Nesta edição dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, 22 modalidades são disputadas e a Delegação Brasileira conta com representantes em 20 modalidades. É interessante mostrar em sala de aula como funcionam as modalidades adaptadas e salientar que o Brasil é uma potência paralímpica mundial pelo número de conquistas em Jogos Paralímpicos.

2- História De Atletas

“Se a palavra convence, o exemplo arrasta!”, apesar do autor da frase ser desconhecido, a afirmação é verdadeira. Dentro do esporte paralímpico, grandes nomes do alto rendimento contam que foram influenciados por seus ídolos, como Daniel Dias, que foi inspirado por Clodoaldo Silva, o tubarão paralímpico da natação.

“Eu descobri a natação quando eu tinha 16 anos, ao assistir o Clodoaldo Silva ganhando medalhas para o Brasil durante os Jogos Paralímpicos de Atenas em 2004. Até então, eu não tinha conhecimento sobre o esporte paralímpico. Me interessei e comecei a praticar a natação logo na sequência, e em oito aulas eu já tinha aprendido a nadar os quatro estilos.”, conta o maior nadador paralímpico do mundo, Daniel Dias.

Histórias de campeões paralímpicos podem ser lidas no eBook “A diferença de quem faz. Pessoas com deficiência que inspiram”, com download gratuito aqui.

3- Explicação De Atletas Sobre Termos Capacitistas

Entender quais são as expressões capacitistas presentes no vocabulário permite identificá-las e substituir os termos por palavras que não carregam preconceito. Ensinar esses termos a crianças ajuda a disseminar uma linguagem mais inclusiva desde cedo e os atletas paralímpicos podem ser símbolos dessa missão.

4- Filmes E Documentários Sobre O Tema

Filmes e documentários são ótimas formas de conhecer o movimento paralímpico e histórias de atletas. O formato é ideal para ser o ponto de partida para grupos de discussão sobre o paradesporto e fomentar o pensamento crítico a respeito do dia a dia das pessoas com deficiência e o caminho do esporte de alto rendimento.
O CPB preparou uma lista com filmes e documentários sobre o paradesporto e é possível conferir neste link.

5 – O CPB E A História Do Paradesporto No Brasil

A história do Comitê Paralímpico Brasileiro começou há menos de 30 anos e é repleta de capítulos marcantes. O CPB tem uma relação intrínseca com o tema e a história do Comitê e do paradesporto estão relatadas no eBook recomendado: “O CPB e o esporte paralímpico no Brasil – duas histórias que se cruzam”. O material traz mais subsídios para abordar o tema em sala de aula.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Comitê Paralímpico Brasileiro