Ketly Vieira: influenciando vidas !

A história de vida de Ketly Vieira seria idêntica a qualquer outra menina até os seus 14 anos de idade. Sua infância foi como a de qualquer outra garotinha, até que suas quedas começaram a ser mais intensas e frequentes. Desequilíbrios e tombos além do natural para uma criança daquela idade. De uma hora para outra perdeu os movimentos das pernas. Até encontrar o diagnóstico de Distrofia Muscular, foram meses de idas e vindas aos hospitais. “Procuramos diversos médicos e, por se tratar de uma doença rara, não chegávamos ao diagnóstico. Passei minha juventude entre internações, exames e testes, até que um exame genético de DNA identificou a distrofia muscular. A partir daí, todos os dias é uma incógnita, pois é uma doença progressiva, e cada pessoa reage de uma maneira. É um tabu como qualquer outra deficiência. Muito grave até. Mas com certo cuidado e tratamento a gente consegue ter uma vida razoável”, explica Ketly.

A doença degenerativa nunca foi um empecilho para quem escolheu sorrir. “É uma vida. Sempre passo mensagens positivas porque a minha vida é feita de positividade. Eu não acordo pensando em chorar. Acordo pensando em viver. Cada dia ter uma coisa diferente. A vida é feita para ser vivida. E da melhor maneira possível. Cada um tem que procurar qual é sua melhor maneira para se viver. Se lamentar todos os dias não vai resolver o seu problema. Mas se você procurar um tratamento, uma solução, ai sim vai resolver. Tinha duas opões na vida. Deitava e chorava ou sorria para a vida. Decidi sorrir. Fui me acostumando a cada dia. Não foi fácil usar a bengala, muito menos a cadeira de rodas”, comenta.

Desde que Ketly teve o diagnóstico da sua doença, ela passou a incentivar a família a encarar a vida de frente, com muito otimismo e garra. Fez dois cursos superiores. É formada em Administração e Ciências Contábeis. É casada e vive muito feliz com o marido, Vitorino Junior.

Ketly é muito bonita, inteligente, resolvida, guerreira e na cadeira de rodas, costuma brincar ao dizer que já ouviu frases do tipo: ‘tão bonita, mas na cadeira de rodas’… “Muita gente ainda fala isso. Todo mundo é bonito, independentemente de estar em pé ou não. Eu tento levar essa mensagem para que as pessoas sem deficiência vejam as PcD como uma pessoa naturalmente. Eu quis mostrar para mim e para a sociedade que pessoas com deficiência pode seguir a vida. Existe vida após uma cadeira de rodas. Vivo intensamente essa vida”, afirma Ketly.

Ao invés de buscar conquistas materiais Ketly escolheu viver. “Tenho distrofia muscular. Não sei o que vai ser do meu dia daqui a 20 anos. Porque, então, preciso de coisas materiais ? A única coisa que preciso é viver – e da melhor maneira possível, intensamente. Resolvi trabalhar e uma vez por ano viajar. Sabia planejar meu dinheiro para uma viagem longa ou curta, mas todo ano tinha uma viagem. Por isso, eu viajo sempre. Estou procurando lugares novos para duas coisas: divertir-me e ajudar o próximo. Não vamos levar bens materiais desta vida, mas o que vivemos, com certeza, sim. O que eu vivo vai ficar comigo para sempre. Comecei então a anotar nas viagens que certo restaurante e hotel tem acessibilidade. Que certo lugar tem boa estrutura. Passei então a dividir essas informações com meus amigos. Percebi que a informação não é só para mim. Essas informações eram muito valiosas para apenas guardar em uma pasta. Se essas informações eram importantes para mim, que tem uma deficiência, para quem não tem é muito melhor ainda. Todas as férias eu vou para um lugar, seja mais distante ou mais pertinho. São tantos lugares viajados, que eu não lembro todos”, afirma.

Em plena tarde de um domingo ela começou a publicar nas redes sociais as informações sobre suas viagens. Em menos de dois anos 60 mil seguidores acompanham Ketly nas redes sociais. Em todas as mídias ela compartilha com pessoas com ou sem deficiência suas atividades diárias. “Compartilho informações sobre o dia a dia. Escrevo sobre roupas, maquiagem, meios de transportes, eventos. É o estilo de vida da Ketly como uma pessoa com deficiência, como uma mulher, como influenciadora digital, coisas assim. Falo sobre viagens, meu principal hobby. Passo a informação sobre todos os lugares que conheço que tenha acessibilidade, que esteja certo sobre arquitetônica. Só falo coisas boas. Minhas redes sociais têm 99 % de coisas boas. O que acho interessante para que as pessoas saibam, vai estar lá. Coisas ruins todo o mundo vive todos os dias em todos os momentos. Isso não precisa ser divulgado”, afirma.

E os bons resultados são comemorados ! “Com certeza receber relatos de pessoas que nunca saiam de suas casas é uma das minhas maiores conquistas, pessoas que escondiam sua deficiência ou tinham vergonha de usar uma cadeira de rodas e depois de me conhecer, tiveram coragem de enfrentar seus medos e os preconceitos da sociedade. Ou que ajudei alguém a realizar o sonho de conhecer uma praia com acessibilidade”, comenta.

“Minha missão é mostrar que somos todos iguais, que existe vida após uma cadeira de rodas e fazer com que as pessoas vivam, se divirtam, estejam motivadas para uma vida feliz, independentemente de sua deficiência”, diz a influenciadora digital.

Aparecida do Norte, Belo Horizonte, Blumenau, Brasília, Balneário Camboriú, Curitiba, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Serras Gaúchas, João Pessoa, Natal, Porto de Galinhas, Porto Seguro, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, Santos e São Paulo. Essas são algumas das viagens feitas pela Ketly pelo Brasil. Mas se acha que acabou, estão enganados. Ela também já visitou Barcelona, Buenos Aires, Ciudad del Este, Florença, Las Vegas, Los Angeles, Madrid, Miami, Nova York, Orlando, San Diego, Santiago, San Francisco e Veneza. Programe sua viagem também. As informações sobre todos esses lugares, e outros, estão disponíveis para qualquer pessoa.

Para isso, basta acessar o “Acessibilidade Tô de Olho” e vai encontrar a Ketly. Não são apenas dicas do dia a dia e de viagens que estão disponíveis. São exemplos de garra e de perseverança que levam muitas pessoas a seguirem os exemplos dela. A foto de um nascer ou por do sol é contagiante. Esse é um dos motivos que levam milhares de pessoas a seguir essa mulher incrível que é, sem dúvida, uma influenciadora de vidas !

Font Resize