Livro infantil mostra que somos todos diferentes e que está tudo bem

Pedro tem Hiperatividade (TDAH), Carla tem Deficiência Intelectual (DI), Lucas tem Altas Habilidades, Vítor tem Dislexia e sua irmã gêmea, Vitória, tem Discalculia. Cristiano tem Transtorno do Espectro Autista (TEA), Ana tem Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), já suas irmãs mais novas, Mariana e Juliana têm Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e Fobias, respectivamente. Rafael tem Depressão e seu primo Miguel tem Transtorno Afetivo Bipolar (TAB) e Tobias tem Dependência de Internet.

Através da apresentação dos sintomas dessas crianças é que as psiquiatras Ana Yuri Matsumoto e Andrezza Brito dão o tom do livro “Diferentemente”, destacando ainda o importante papel que profissionais especializados em saúde mental têm no dia a dia delas.

A obra indica quatro passos para que crianças e jovens tenham uma boa saúde mental: entender, aceitar, cuidar e acolher. A iniciativa destaca, através de uma leitura leve e fluida que sim, somos todos diferentes. E está tudo bem!

 
“Não é fácil mudar o estigma enraizado contra as condições mentais e até mesmo contra a psiquiatria. Tudo o que permeia o assunto ainda vem carregado de misticismo, ignorância e preconceitos, em pleno século XXI. Torcemos para que o nosso livro seja lido pelo maior número de crianças e, quem sabe um dia, possa ser usado como instrumento educacional, pois não se ama e não se respeita o que não se conhece”, indica Ana.

Andrezza faz coro. “Esse livro é importante para redução do preconceito em relação aos transtornos mentais e redução do bullying entre crianças e adolescentes. É preciso trabalhar desde a infância a aceitação das diferenças”.

Segundo o relatório Saúde Mental de Crianças e Jovens, na Inglaterra, publicado em julho de 2020, pelo NHS Digital, problemas de saúde mental em crianças e jovens aumentaram 50% na pandemia do coronavírus. Ainda de acordo com o documento, uma em cada seis crianças enfrentam atualmente problemas de ansiedade e depressão.

No Brasil, um estudo recente realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), apontou que uma em cada quatro crianças e adolescentes ouvidos durante a pesquisa, apresentou ansiedade e depressão durante a pandemia com níveis clínicos – ou seja, com necessidade de intervenção de especialistas.

Diferentemente é direcionado ao público jovem – dos 8 aos 14 anos -, além de psiquiatras infantis, psicólogos, professores, psicopedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e todos os que trabalham com saúde mental infantil. A obra foi impressa pela editora Literando e contém 27 páginas. O material está disponível para venda no site da Amazon e no Instagram @diferentemente.olivro. O livro não tem fins lucrativos e as autoras pretendem tornar seu custo o mais acessível possível.

Sobre as autoras:
Ana Yuri Matsumoto é natural de Belém (PA), Psiquiatra Geral, Médica do Trabalho e Pós-graduanda em Terapia Cognitivo Comportamental. Além disso, também é autora do livro “Louco é quem me diz”.

Andrezza Brito é natural de Caruaru (PE), Psiquiatra Geral, Psiquiatra da Infância e Adolescência, Psiquiatra Forense e Mestranda pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Brasília (UnB).