Mães pedem professor auxiliar para alunos com deficiência

Mães pedem professor auxiliar para alunos com deficiência

O Coletivo Família Atípica, formado por 35 mães de alunos com deficiências matriculados em escolas da rede municipal de ensino de Mogi das Cruzes/SP, reivindica professores auxiliares especializados para acompanhamento de seus filhos em sala de aula. A Secretaria Municipal de Educação da cidade informa que há 925 estudantes com deficiência e 111 profissionais de apoio nas escolas, e afirmando estar estudando meios mais ágeis para contratação de profissionais a fim de ampliar o atendimento.

Segundo Thaís Barros de Oliveira, mãe de Miguel Barros de Amorim, 6 anos, com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e aluno do primeiro ano do Ensino Fundamental I já avaliado pelo Pró-Escolar na EM Dermeval Arouca, atualmente 43 crianças do grupo que teriam o direito, por lei, de contarem com professor auxiliar, estão desassistidas.

Ainda de acordo com ela, todas as crianças possuem laudos e algumas já foram avaliadas pelo Departamento de Educação Inclusiva da Prefeitura, mas não foram atendidas.

Primeiramente, o grupo de mães tentou dialogar com a Secretaria Municipal de Educação para apresentar o direito que seus filhos com deficiência têm de contar com o professor auxiliar especializado nas escolas, direito esse garantido pela LBI – lei brasileira de inclusão.

A mãe do aluno contou que na primeira reunião ficou acordado que alguns questionamentos seriam respondidos posteriormente, mas o grupo não teve resposta. As mães garantem que agora vão judicializar a situação. Essa discussão pelo visto vai longe. Vamos acompanhar de perto.