Mano Down apresenta projeto de expansão para principais executivos do país

Na última quinta-feira (12/08), o Instituto Mano Down – organização social, se apresentou no Give Back Day – o evento de encerramento da 1ª edição do BTG SOMA, programa de aceleração social promovido pelo BTG Pactual.

O Mano Down foi uma das seis instituições sociais selecionadas para participar do programa e teve a oportunidade de apresentar para investidores, executivos e filantropos o seu novo negócio de impacto social: projeto Avante Mano Down para expansão da sua capacidade de atendimento e criação do primeiro ecossistema de inclusão e inovação social de Belo Horizonte, MG.

O evento Give Back Day teve transmissão ao vivo pelo canal do YouTube do BTG e contou com participação de grandes nomes, como Luiza Trajano – Presidente do Grupo Mulheres do Brasil e Presidente do Conselho do Magazine Luiza; Roberto Sallouti – CEO do BTG Pactual, Patrícia Lobaccaro – Fundadora e CEO da Mobilize Global, Elie Horn – Filantropo e Fundador da Cyrela; Paula Fabiani – CEO do IDIS (Instituto de Desenvolvimento Social), Juliana de Paula – Associate Director de Responsabilidade Social do BTG Pactual; Alcione Albanesi – Presidente e Fundadora dos Amigos do Bem; Sônia Hess – VP do Grupo Mulheres do Brasil e Fundadora do Fundo Dona de Mim; e Martha Leonardis – Sócia, Head de Responsabilidade Social do BTG Pactual.

Durante o evento, foram realizados painéis com os convidados, com o foco nas estruturas de doação, apresentação e reconhecimento das seis instituições participantes – Instituto Mano Down, Moinho Cultural, Ballet Paraisópolis, Instituto Tiago Camilo, Instituto PROA e Instituto Mano Down. O público que acompanhou a transmissão pelo YouTube pode interagir e contribuir com os projetos sociais das instituições.

 

O que foi o BTG SOMA

 

Promovido pelo BTG Pactual, em parceria com a ASID Brasil, o BTG SOMA é um programa de aceleração social, com o objetivo de potencializar a gestão das organizações sociais e contribuir para que elas alcancem sua sustentabilidade financeira.

Foram selecionadas apenas seis instituições para a primeira edição: Instituto Mano Down, Instituto Dom, Moinho Cultural, Ballet Paraisópolis, Instituto Tiago Camilo e Instituto PROA.

As instituições tiveram acesso a mais de 100 horas de capacitação em modelos de negócios, marketing, captação de recursos, gestão financeira, avaliação de impacto social e aceleração, além de mentorias com executivos do BTG e Workshops com os sócios do banco.

No encerramento do evento as organizações sociais participantes tiveram a oportunidade de apresentar o seu modelo de negócios ou um projeto de expansão do impacto social para uma banca avaliadora, formada por investidores, executivos e filantropos.

 

 

Leonardo Gontijo – Presidente e fundador do Instituto Mano Down; e Dudu do Cavaco – músico e educando do Instituto; serão os representantes da instituição no Give Back Day

Projeto Avante Mano Down

 

O Instituto Mano Down – organização social que atende mais de 400 famílias de pessoas com síndrome de Down e outras deficiências; foi uma das seis instituições selecionadas para participar da primeira edição do BTG SOMA e como projeto de expansão de impacto social apresentou o Avante Mano Down – ecossistema de inclusão e inovação social.

 

O objetivo principal do projeto é criar um ecossistema de inclusão em Belo Horizonte, que servirá de modelo para outras capitais. Para isso, o projeto contará na primeira fase com a mudança da sede do Instituto do bairro Alto Barroca para o Floresta, em um espaço que será reformado e adaptado para permitir o aumento de mais de 700% da capacidade de atendimentos assistenciais e de saúde (intervenção precoce), com fisioterapia, terapia ocupacional, fonoterapia, hidroterapia e outras atividades, somando 12 frentes de desenvolvimento para bebês e crianças.

Para os jovens e adultos a expectativa é um aumento de 400% da capacidade de atendimento, com novas atividades e frentes de atuação, contando com um espaço poliesportivo para realização de atividades culturais, esportivas, de mobilização para autonomia e inclusão no mercado de trabalho.

A outra novidade será a implementação do espaço multissensorial 6D, considerado uma das maiores inovações em terapias. Atualmente em todo o Brasil existem pouco menos de 10 salas com esse conceito e tecnologia, que estejam estruturadas e em funcionamento.

O projeto ainda prevê a criação de outros espaços, no mesmo quarteirão, para as atividades de pedagogia e oficina multidisciplinar dentro do projeto de inclusão escolar, o Café do Mano – espaço de socialização e cultura que contará com profissionais com síndrome de Down, e o espaço Hub Incluo de empreendedorismo social para pessoas com deficiência.

Além disso, o Mano Down quer criar o primeiro passeio com o conceito mais acessível do Brasil, incluindo todos os itens de acessibilidade ideais para as pessoas com deficiência. E, também, quer propor várias ações para revitalização do bairro e criação de espaços de convivência da comunidade com as famílias e pessoas atendidas pelo Mano Down.

Para tornar o projeto realidade, o Instituto Mano Down precisa captar nos próximos meses até 600 mil reais. Como instituição social sem fins lucrativos, o Mano Down vem captando recursos por meio de doações e cotas de patrocínio ou permutas. Todas as pessoas ou empresas que contribuem para o projeto recebem contrapartidas sociais, que podem ser desde a inserção do “nome” no muro da nova sede do Instituto, acesso aos serviços do Mano Down, até naming rights e media partner, no caso de empresas.

FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO

·        Doação direta – qualquer valor – PIX [email protected]

·        Cotas de patrocínio / permuta – 31 99613-9566

INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO

https://manodown.com.br/ecossistema-da-inclusao/

Para mais informações sobre o Instituto, acesse: www.manodown.com.br