MPT quer ampliar entrada de PcDs no mercado de trabalho na região de Campinas/SP

Saiu no jornal ! Matéria publicada no Correio Popular, na capa do jornal, traz que o Ministério Público do Trabalho (MPT) iniciou um trabalho para auxiliar a entrada de pessoas com deficiência

Saiu no jornal ! Matéria publicada no Correio Popular, na capa do jornal, traz que o Ministério Público do Trabalho (MPT) iniciou um trabalho para auxiliar a entrada de pessoas com deficiência (PcD) no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Campinas/SP (RMC). O Centro de Estudos Sindicais e Economia do Trabalho (Cesit) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizou um mapeamento relativo à inclusão dessa parcela da população, que será repassado às prefeituras para o desenvolvimento de políticas públicas e captação de empresas interessadas.

A partir da realidade levantada pela pesquisa do Cesit, o MPT informou que o próximo passo será o de intensificar o trabalho promocional de diálogo com as partes interessadas, como prefeituras, empresas e entidades na inclusão de PcDs e reabilitados nas empresas.

O estudo traz dados relativos ao perfil demográfico desse segmento – como gênero, escolaridade, tipo de deficiência etc., além da evolução dos vínculos formais, vagas disponíveis no mercado de trabalho e o cumprimento da cota de contratação prevista em lei, dentre outras informações.

Os dois primeiros itens do estudo apresentam informações relevantes sobre vagas entre os períodos de 2020 e 2021.

No ano passado, as contratações tiveram um aumento de 56,82% – com 2.230 PcDs admitidas, enquanto no ano anterior, 2020, os contratados somaram 1.422. As demissões também variaram para cima para esse segmento demográfico nos mesmos períodos: em 2020, 2.102 PcDs perderam seus empregos, enquanto em 2021, esse dado saltou para 2.382 – um percentual de 13,32%.

Segundo o levantamento do Cesit, em dados estimados para 2022, há um total de 171.668 pessoas com deficiência na RMC. Destas, 101.309 com idade entre 20 e 64 anos (potencialmente aptas ao trabalho) e 81.559 acima de 64 anos. Na faixa etária de 15 a 19 anos estão 4.572 PcDs na RMC, ou seja, com potencial para ingressar em programas de aprendizagem.

O estudo apontou que em 2019 estavam previstas 17.837 vagas para PcDs e reabilitados nos 20 municípios da RMC, em números absolutos, no entanto, apenas 8.663 foram ocupadas (47,2%), gerando um gargalo de 9.174 vagas não ocupadas (52,8%).

Vamos continuar acompanhando de perto !