Mudança na legislação não impacta vendas para pessoas com deficiência na Nissan

Segundo o gerente de Vendas Diretas da multinacional, concessionárias podem sentir primeiros impactos em 2020 

Apesar do Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ) ter alterado o intervalo para a aquisição de veículos com isenção de ICMS de dois para 4 anos, ato recebido pelo cidadão PcD como um “duro golpe”, a procura por veículos no segmento continuou em alta. De acordo com o gerente de Vendas Diretas na Nissan do Brasil, Antonio Alonso, “a mudança ainda é muito nebulosa”, com São Paulo e Goiás brigando contra a transferência, que está valendo desde a sua publicação no Diário Oficial em 26/07/2018.

“O cliente não levou muito em conta a reforma. Ele continuou comprando carros para ver o que vai acontecer daqui 4 anos. Como ele estava acostumado a fazer a troca de veículos a cada 2 anos, talvez as concessionárias comecem a sentir essa diferença em 2020”, explica, acrescentando: “não é como se a redução da isenção afetasse diretamente na compra”.

Desde que lançou o Programa Nissan Mobilidade para Todos, em 2017, disponibilizando produtos especificamente destinados às pessoas com deficiência, com descontos exclusivos de fábrica na compra do automóvel 0Km e isenção de impostos, as vendas na multinacional têm crescido constantemente. Sem abrir os números, Alonso garante que as saídas de veículos para o público PcD aumentou muito.

“Além dos Kicks S Direct CVT que havíamos lançado com enorme sucesso no ano passado, em agosto desse ano estreamos o Versa SL CVT Direct, exclusivamente para as pessoas com deficiência e com entrega mais rápida”, conta. “Considerando o nosso portfólio, o ICMS no teto de R$ 70 mil não é nenhum problema, mas há demandas de montadoras pedindo que o valor seja alterado para R$ 90 mil”, conclui o gerente de vendas.

Para 2019, a Nissan Brasil estima continuar forte e consistente nas comercializações do segmento PcD, calculando um incremento de mais de 20 % em relação a 2018. “Estamos com todo um planejamento para alcançar esse resultado. Com a atual demanda e um potencial pedido de veículos PcDs, com o pé no chão conseguiremos atingir essa meta”, finaliza Alonso.