Nick e Bella, a história de duas modelos com Síndrome de Down

Nicolly e Isabella são dois exemplos de superação. Diagnosticadas com Síndrome de Down, as meninas de 5 e 8 anos, respectivamente, arrancam suspiros por onde passam e se consagram como modelos mirins.

Do Mato Grosso do Sul e diagnosticada com Síndrome de Down ao nascer, Nicolly com 1 ano e oito meses, foi descoberta nas redes sociais, e convidada para participar de um Concurso de Miss na sua cidade, Campo Grande. Insegura, a mãe procurou saber como a inclusão social nesses concursos ocorria, e acabou aceitando o convite. Já no seu primeiro Concurso de Miss recebeu dois títulos: Embaixadora Down 2018 e Miss Baby Popularidade.

A família seguiu então a busca pela Inclusão social, no meio do mundo Miss e da Moda. Atualmente, com 5 anos, Nicolly possui 5 Títulos de Miss, sendo o maior de todos Miss Baby Brasil Universo Beleza Fashion 2018. Com a primeira experiência positiva, a família de Nick, como é conhecida, procurou várias agências para dar andamento no sonho da filha, até que no meio da pandemia, o scouter Dilson Stein, a descobriu através do Instagram.

Para transmitir mais segurança, o próprio Dilson entrou em contato com a família,  tranquilizando e dando total apoio por essa luta pela Inclusão Social. A mãe acredita que o mercado está apoiando mais essa inclusão, tendo visto mais e mais modelos de todas as idades atuando no mercado da moda, mas acredita que ainda sim não são reconhecidas como deveriam.

“Às vezes uma criança ‘típica’ que está fazendo um mesmo job que uma criança ‘atípica’, não recebe nem o mesmo cachê. Outros nos oferecem permutas, e muitos mal sabem do tamanho dos nossos custos, não só pela luta da inclusão, mas como tudo que envolve em torno para obtermos uma qualidade de vida para as nossas crianças” avalia Marina Morelli, mãe da Nick.

A família apoia 100% o trabalho da Nick pois sabem a importância dessa luta pela inclusão. “A socialização, o respeito pelas diferenças, mostrar que nossos filhos são capazes tanto quanto, faz com que a gente tenha forças para seguir em frente sempre em busca do melhor. Hoje já temos muitas parcerias e estamos crescendo cada dia mais, e a Nick é uma criança que ama desfilar”, comemora a mãe.

Da ONG para o mundo

Já Isabella tem oito anos e nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais. A carreira dela começou com uma propaganda para uma ONG, quando ela fez um ensaio fotográfico e suas fotos saíram em traseiras de ônibus. Nessa mesma ONG, surgiu a oportunidade para participar de um desfile e foi quando a família descobriu o talento dela nas passarelas.

Assim como Nick, durante a pandemia Isabella decidiu investir na ideia de tornar a menina uma blogueira, influencer e modelo. Através do Instagram, Dilson descobriu a Bella, como é carinhosamente chamada, e deu a oportunidade de ela fazer os cursos do Portal gratuitamente, pois acreditava muito no potencial, tendo um olhar singular e inclusivo.

Isabella

“Sentimos que ainda temos muito a ganhar quando se refere às oportunidades, ainda temos uma sociedade muito exclusiva, lutamos por uma inclusão efetiva. Independente da síndrome Isabella tem seu potencial e Dilson foi uma das pessoas que enxergou isso”, comemora Cynthia, mãe da Isabella.

Atualmente, a Bella vem conquistando seu espaço no mercado, já participou de campanhas de grandes marcas, e até para clubes de futebol. “Acreditamos na nossa filha e potencializamos o que ela gosta e faz com excelência que é tirar fotos, desfilar e atuar. E seguimos acreditando e em busca de mais empatia e inclusão”, pondera a mãe.