Nota de R$ 200, com mesmo formato à de R$ 20, prejudica cegos

Nesta quarta-feira, 2, o Governo Federal divulgou o início da circulação da nova nota de R$ 200. De acordo com as primeiras avaliações, constata-se um grave defeito na confecção, que prejudicará diretamente as pessoas com deficiência visual. Não existe nenhuma diferença das dimensões da nova nota com a de R$ 20. A decisão do BC levantou críticas não por apenas quebrar a tradição, mas porque o tamanho das cédulas é um importante fator para ajudar pessoas com deficiência visual a identificar o valor da moeda em mãos. A nota de R$ 200 tem o mesmo formato da nota de R$ 20 (14,2cm x 6,5cm).

O Banco Central, em nota, afirma que a nova nota tem uma marca tátil, com três barras em alto-relevo no canto inferior de sua frente. A instituição afirma ainda que deficientes visuais ainda poderão identificar e diferenciar a nova cédula por meio da marca tátil, um item de alto relevo que todas as notas de real possuem. No caso dos R$ 200, a marca tátil é representada por três linhas inclinadas, enquanto a de R$ 20 possui duas barras inclinadas em alto relevo.

 Em entrevista, Alberto Pereira, presidente da ONCB – Organização Nacional de Cegos do Brasil afirma que “abandonar um dos sinais sensoriais é um retrocesso. A diferenciação da nota por suas dimensões e pelas marcas táteis são recursos complementares, e o lançamento da cédula sem tamanho diferenciado reduz a autonomia de quem tem deficiência visual”.