O CARRO DO ANO´2016 PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA !!!

Já são 19 anos de tradição na eleição, através de pesquisa e voto direto dos leitores e assinantes da Revista Reação, onde eles, formadores de opinião e usuários de veículos – pessoas com deficiência, familiares e também profissionais da área –  escolhem pelo nosso site ou no cupom Carta-Resposta encartado na própria revista: “O Melhor Carro Para a Pessoa com Deficiência”

 Como já é tradição, há 19 anos a pesquisa do “Carro do Ano para PcD” é realizada pela Revista Reação, tornando-se referência para as montadoras de veículos em seus departamentos de Vendas Diretas ou Vendas Especiais e, também, principalmente, referência para o consumidor de automóveis 0Km, sejam eles pessoas com deficiência, seus familiares e pessoas com mobilidade reduzida de forma geral.

A pesquisa é sempre realizada através do voto direto. Ela não é quantitativa em seu resultado, ou seja, os carros citados na pesquisa, bem como suas colocações, não representam os veículos mais vendidos. Não é um ranking de vendas do setor, mas sim, uma pesquisa de opinião, onde são eleitos os mais “queridos e desejados” pelo consumidor.

Na Pesquisa é o leitor da revista quem expressa sua opinião e os resultados são computados ao final, sem qualquer ingerência, influência ou opinião da publicação. A pesquisa é livre e realizada junto aos leitores e assinantes da Revista Reação, e consumidores de veículos comercializados com isenção de impostos. É o voto do consumidor/usuário de automóveis, no modelo que eles acham ser o melhor para cada um, os mais admirados, desejados, que atendem mais suas expectativas, e também o atendimento na rede da marca. Enfim, leva em conta e expressa a opinião de quem vota !

A pesquisa para eleição do “Carro do Ano para Pessoas com Deficiência 2016” teve início no mês de  outubro de 2016 e se estendeu até o final de janeiro de 2017. Foram cerca de 100 dias de votação.

Essa é a forma mais clara de expressão do consumidor a respeito do seu desejo. Prova disso é a participação expressiva que temos dos leitores, que cresce ano a ano.

Nessa edição da pesquisa 2016, recebemos 2.133 votos, com quase 90 % deles chegando através do site da Revista Reação, pelos posts no Facebook, ou seja, pela Internet. Provando que o perfil do eleitor da pesquisa vem mudando e se atualizando. Os outros 10 % restantes, ainda vieram através dos Correios, pelo formato de cupom de Carta-Resposta – com postagem gratuita.

 

Os quesitos levados em consideração na hora do voto para eleger os melhores modelos, além lógico, da relação custo x benefício e o atendimento da rede concessionária, são:

 – Beleza do carro;

– Acessibilidade aos comandos de painel;

– Espaço interno e de porta-malas;

– Design e estilo;

– Acessibilidade e transferência;

– Funcionalidade e visibilidade;

– Tecnologia e acessórios;

– Motor e câmbio;

– Conforto, desempenho e dirigibilidade;

– Preço e condições de compra.

 

O mercado automobilístico vem amargando tempos difíceis nos últimos anos, porém, mais uma vez, assim como já ocorreu em 2015, em 2016 também foram as vendas de automóveis para pessoas com deficiência – as chamadas Vendas Especiais/Vendas Diretas – um dos sustentáculos para montadoras e concessionárias, uma vez que o varejo – as vendas comuns aos consumidores finais sem isenção – vem despencando desde 2014.

As vendas de automóveis para PcD com isenção de impostos vem, já há algum tempo, na contramão da crise econômica. O consumidor com deficiência e seus familiares continuaram comprando normalmente e sente-se notadamente um aumento grandioso nas vendas para aquelas pessoas com mobilidade reduzida e com sequelas de patologias que também geram direito à isenção. Isso aqueceu demais o mercado, dando fôlego novo à indústria que continua investindo pesado no setor.

Só para se ter uma ideia, as vendas com isenção de impostos para PcD subiram 26,5 % em 2015, em relação a 2014. E em 2016, subiram mais 31,5 % em relação a 2015 !

Os números mostram o potencial desse mercado, que vem atraindo cada vez mais montadoras dispostas a atuar nesse nicho, como as chamadas marcas Premium, por exemplo, que com mais empenho do ano passado para cá, também vem colocando seu foco nesse segmento.

 

  Os votos refletem o trabalho feito no segmento

Neste ano, a Revista Reação completa 20 anos de vida. Durante todos esses anos, a revista realiza matérias especiais de test-drive com automóveis enviados sempre pelas próprias montadoras, para que nossa equipe exclusiva de especialistas, possam avaliar os modelos e publicar assim o seu parecer sobre cada um.

Esse trabalho profissional e técnico, exclusivo da Revista Reação com veículos adaptados – as adaptações para realização dos testes também são feitas por empresas parceiras da revista. Isso tudo embasa os leitores através das matérias, influenciando, às vezes, até mesmo na sua decisão de compra.

As matérias especiais de test-drive – onde convidamos pessoas com deficiências e familiares para testarem os modelos – dão espaço também para que os usuários dos carros expressem suas opiniões sobre os modelos. Tudo é publicado na revista de forma isenta, objetiva, imparcial e bastante pertinente, levando em conta pontos específicos do uso diário do carro em situações cotidianas de PcD e suas famílias.

 Certamente, os modelos testados pela Revista Reação durante o ano acabam sendo lembrados com mais facilidade pelo leitor na hora do voto, bem como, o trabalho de divulgação de cada montadora na própria revista através de propaganda dos carros durante o ano. Tudo isso conta na memória e lembrança de quem vota, assim como todos os outros quesitos citados nessa matéria, porém, sem dúvida alguma, o ponto mais levado em consideração é certamente o atendimento na rede de concessionárias de cada marca. Isso conta demais !!!

Saber atender com informações corretas e respeito, vale mais do que qualquer coisa no ponto de vista dos consumidores de automóveis com isenção de impostos. Um bom atendimento é mais de 80 % da venda feita. Por isso, o investimento das montadoras na formação da sua rede, dos profissionais que atendem o público PcD, é primordial.

 

 Analisando o resultado da pesquisa 2016 !

O Novo Corolla foi eleito, mais uma vez, pelos leitores desta revista, como o “Melhor Carro para a Pessoa com Deficiência”. O modelo foi lançado e conquistou o primeiro lugar em 2014, repetindo o feito em 2015, e agora, conquistando então o tricampeonato em 2016. Isso mostra a preferência pelos sedans, afinal, em 19 anos, sempre um sedan ocupa a primeira colocação dessa Pesquisa de opinião.

Já a Honda, a montadora mais premiada desses 19 anos de pesquisa, veio com uma surpresa na segunda colocação: o HRV, um veículo cujo valor final supera a casa do teto de R$ 70 mil para compra com isenção total de impostos. Junto dela, empatado em 2º lugar, vem o Renegade da Jeep, hoje o modelo “queridinho” dos brasileiros. Esses dois modelos na segunda posição, e também do Ecosport (Ford) na terceira colocação, comprovam a tendência do mercado brasileiro – PcD ou não – de preferência pelos modelos da categoria chamada de SUV.

Mas vamos agora conhecer um pouco mais de cada um dos modelos vitoriosos e citados em suas colocações da pesquisa 2016:

  

Corolla leva o Tricampeonato !!!

Não é difícil de imaginar o porquê do Corolla ter levado o primeiro lugar novamente na eleição do “Melhor carro para PcD” em 2016. Primeiro ponto a ser analisado em favor da marca é que ela sustentou a briga do valor teto dos R$ 70 mil, mantendo um modelo de partida do Corolla abaixo desse valor, garantindo assim o atendimento ao público com isenção total de impostos. Outro ponto foi o investimento maciço na mídia dirigida ao segmento e a participação sempre ativa e de destaque da marca Toyota em eventos e feiras para pessoas com deficiência. E por fim, o treinamento constante que a montadora procura proporcionar para a equipe de sua rede no atendimento a PcD.

Tudo isso, aliada à imagem de segurança e economia da marca acabam, inevitavelmente, refletindo em vendas e por consequência, também na opinião do usuário/consumidor na hora do voto. E a vitória acabou sendo inevitável. Essa foi a 6ª vitória do Corolla desde que essa pesquisa começou a ser realizada há 19 anos.

  

Preferência nacional: SUVs na segunda colocação

Não há como negar que a preferência do consumidor brasileiro hoje, tenha ele deficiência ou não, está se voltando cada dia mais para os chamados SUVs. E na pesquisa 2016 isso ficou bastante evidente nas primeiras colocações.

Outro ponto a salientar é o valor teto de R$ 70 mil, que apesar de ser a grande luta do movimento da PcD hoje, brigando pelo seu aumento, na pesquisa um dos vencedores da segunda colocação foi o HRV (Honda).

O modelo de lançamento recente da marca japonesa não se enquadra na isenção total de impostos (não tem a isenção do ICMS por custar mais que R$ 70 mil) e ficou com o segundo lugar, empatado com o Renegade (Jeep), modelo que hoje é um dos mais vendidos do Brasil em todas as suas versões. O Renegade é um dos casos onde a montadora fez um esforço para segurar uma versão de partida com valor abaixo dos R$ 70 mil e a estratégia deu certo. O HRV superou outros três modelos, também da própria Honda, que sempre figuravam nas primeiras colocações: Civic, City e o Fit. E o Renegade, por sua vez, saiu da 5ª posição em 2015 pulando para 2º lugar em 2016. Se essa tendência de crescimento se firmar em 2017, quem sabe não teremos um modelo da Jeep disputando a primeira colocação da próxima pesquisa. Tudo vai depender também do trabalho da marca durante o ano. Vamos aguardar !

 

Honda e Ford em terceiro lugar

Mais uma vez um SUV… o Ecosport (Ford) manteve a terceira colocação conquistada em 2015, repetindo o feito em 2016, comprovando que essa fatia de mercado junto às PcD tem dono. Certamente isso também tem a ver com o fato do modelo hoje ser uma das melhores opções no quesito “custo x benefício” do mercado, com a sua versão praticamente completa abaixo dos R$ 70 mil. Acreditamos que, se esse fator fosse mais explorado em divulgação por parte da montadora, a colocação do Ecosport seria até melhor. O que faltou para o consumidor final foi mais informação sobre isso. Junto do modelo da Ford na terceira colocação está o Fit (Honda), um dos mais vendidos para o segmento PcD. O Fit já foi por várias vezes o campeão dessa pesquisa e caiu do 2º lugar em 2015 para o 3º lugar em 2016.   

 

Um 4º lugar bastante eclético

O 4º lugar da pesquisa desta vez foi bastante eclético. Tem modelos para todos os gostos. Num empate temos um sedan, o City (Honda), que também saiu da segunda posição em 2015 para ocupar a quarta agora em 2016, e com ele, outros dois modelos dividem a opinião do público. Um deles é a Spin (Chevrolet) e o outro do Doblò (Fiat). Esses dois modelos, até tem características parecidas, tanto um como o outro, por exemplo, podem receber transformações para transporte de PcD não condutoras, seja através de rampas, piso baixo ou plataformas. São carros com assentos mais altos, com capacidade para mais passageiros se necessário, sem falar no quesito porta-malas.

  

Modelos de porte no 5º lugar  

 Três modelos nada modestos figuram empatados na quinta colocação da pesquisa 2016. São eles a Pagero (Mitsubishi), que subiu de sétimo lugar em 2015 para quinto em 2016. E junto com ela, uma velha conhecida na preferência dos votantes, que é a SW4 (Toyota), um carro que ultrapassa a casa dos R$ 230 mil, porém, com a isenção do IPI, no caso da versão top de linha com motor Diesel, torna-se uma opção bem interessante para os bolsos mais privilegiados. Outro modelo que ocupa a quinta colocação é o Cruze (Chevrolet), que foi totalmente reestilizado em 2016, ganhando ares de requinte e sofisticação.

  

Na 6ª colocação os Sedans médios dominaram o pedaço

O 6º lugar vem com 3 modelos da mesma categoria: Sedans médios. O Etios (Toyota), lançado na sua versão automática em 2016 já era uma aposta certa. Com economia e um porta-malas fantástico, e a confiabilidade Toyota, a marca aposta e muito no modelo neste segmento. Outra grande aposta para o segmento que chegou à 6ª colocação em 2016 foi o Versa (Nissan), lançado também na sua versão automática CVT no meio do ano passado, a montadora vê no modelo um futuro campeão de vendas para o segmento. Com eles, dividindo a colocação está outro conhecido dos leitores e votantes, o HB 20 (Hyundai), um sedan que caiu nas graças do consumidor com e sem deficiência em todo o Brasil e vem fazendo grande sucesso nos últimos anos.

  

Em 7ª lugar também modelos para todos os gostos

De compacto a SUV, passando pelo Sedan, a sétima colocação da pesquisa tem modelos para atender a todos os públicos. A Duster (Renault) foi a grande surpresa nessa posição, uma vez que o modelo tem uma gama admiradores bastante interessante, porém, caiu da terceira colocação em 2015, para o 7º lugar em 2016. Isso pode ser reflexo do pouco investimento da marca em publicidade para o segmento PcD nos últimos tempos. Outra boa surpresa, mas que já também é uma grande aposta da montadora japonesa nesse segmento, foi a aparição do March (Nissan) na sétima colocação. O compacto lançado também no meio do ano passado, vem com câmbio CVT e com uma excelente relação custo x benefício para atender à uma parcela das PcD na venda com isenção e abaixo dos R$ 70 mil. Junto com eles vem o Cobalt (Chevrolet), que também foi reestilizado no ano passado e que garante a hegemonia dos Sedans na preferência de boa parte do eleitorado PcD.

  

Em 8ª lugar mais modelos de Sedans

Sempre eles, os Sedans… na oitava posição temos 3 modelos empatados nessa categoria. O Voyage (VW) e o Prisma (Chevrolet) são sedans menores, mas com ótimos porta-malas e uma boa relação de preço, que atende bem as PcD. E com eles a sofisticação do Sedan completo, o C4 Louge (Citroen), que também por oferecer luxo e conforto numa faixa de preço bastante interessante, acaba sendo sempre uma opção bacana, até ganhou uma posição em relação ao ano anterior da pesquisa, quando estava em nono.

 

Quatro modelos na nona colocação

Nessa colocação temos a C 200 (Mercedes-Benz) como uma novidade entre os votados em 2016. O modelo da montadora alemã fabricado no Brasil vem despontando no desejo das PcD brasileiras. O início dos trabalhos junto ao público PcD pela MB ocorreu durante a Mobility & Show, em São Paulo, no meio do ano passado. Se a montadora continuar investindo no segmento, com a estrela mais desejada dos apaixonados por automóveis à frente, a tendência é só crescer.

Junto na nona posição temos também a Trailblazer (Chevrolet), na categoria das grandes SUVs, que também carregam a mesma isenção interessante no modelo Diesel, apesar de estar bem acima do valor dos R$ 70 mil. Também o Fox (VW), velho conhecido dos eleitores dessa pesquisa e uma ótima opção com câmbio automatizado. O Fluence (Renault), que voltou a figurar entre as 10 colocações. E o Civic (Honda), o maior campeão da história dessa pesquisa, que saiu da quarta colocação em 2015 e veio para nona em 2016. O fato de seu preço estar acima dos R$ 70 mil não pode justificar essa queda na opinião dos votantes do mercado PcD. Algo a mais deve estar acontecendo com o Civic ou na forma de trabalho da marca japonesa que precisa ser revisto. Essa queda do Civic já havia sido estranhada por nós na edição 2015 da pesquisa, afinal, em 2013, por exemplo, o campeão da pesquisa foi o Civic.

  

Audi, BMW e Peugeot na 10ª colocação

 A alemã Audi aparece com dois modelos fabricados aqui no Brasil na décima colocação. São eles o Q3 e o A3. Junto dela outro modelo de montadora alemã, também já fabricando em nosso País, vem empatado na mesma colocação: X1 (BMW). Isso mostra que, se as duas montadoras alemãs investirem mais nesse segmento e divulgação, a tendência é subir não só nas pesquisas, mas também em vendas para PcD. E junto delas, o modelo 2008 (Peugeot), uma das melhores relações custo x benefício desse mercado, o modelo chegou e ocupou um bom espaço no ano passado, sendo um dos destaques da marca na feira Mobility & Show em São Paulo/SP.

  

RESULTADO DA PESQUISA 2016
 1º LUGAR NOVO COROLLA (TOYOTA)       17 %
 2º LUGAR HRV (HONDA) / RENEGADE (JEEP)    14  % 
 3º LUGAR FIT (HONDA) / ECOSPORT (FORD) 13 % 
 4º LUGAR CITY (HONDA) / SPIN (GM) /  DOBLO (FIAT) 12 %
 5º LUGAR PAJERO (MITSUBISHI) / SW4 (TOYOTA) / CRUZE (GM) 10,5 %
 6º LUGAR ETIOS (TOYOTA) / VERSA (NISSAN) / HB 20 SEDAN (HYUNDAI) 9  %
 7º LUGAR MARCH (NISSAN) / COBALT (GM) / DUSTER (RENAULT) 8,5 %
 8º LUGAR VOYAGE (VW) / C4 LOUNGE (CITRÖEN) / PRISMA (GM) 6,5  % 
 9º LUGAR C 200 (MERCEDES-BENZ) / TRAILBLAZER (GM) /CIVIC (HONDA) / FOX (VW) / FLUENCE (RENAULT) 5  %
 10º LUGAR X1 (BMW) / Q3 (AUDI) / 2008 (PEUGEOT) / A3 (AUDI) 3  %
 11º LUGAR OUTROS 1,5  %

 

Mais de 139 mil carros 0Km:   

Vendas de automóveis com isenção de impostos cresce 31,5 % em 2016 !!!

 Desde 2013 esse segmento de vendas de automóveis com isenção de impostos vem crescendo muito. Até 2013, somente as pessoas com deficiência “condutoras”, ou seja, quem poderia dirigir seu próprio carro tinha direito a comprar um automóvel com isenção de impostos. De 2013 para cá, a lei se estendeu também para as pessoas com deficiência “não condutoras”, o que quer dizer que aqueles que precisam ser transportados por um terceiro também podem comprar com isenção. Junto com eles, na mesma lei, os familiares das pessoas com deficiência também foram agraciados com o direito à isenção, assim como pessoas com síndrome de down, autistas e com mobilidade reduzida, sequelas motoras. O texto da lei acabou por abrir uma brecha enorme para que pessoas com problemas de coluna graves também pudessem se beneficiar das isenções, bem como aqueles que tem problemas de joelho, quadril, artrite, artrose, osteoporose, sequelas motoras advindas de patologias como: câncer, HIV positivo, hepatites, diabetes e outras.

Desta forma, o mercado vem crescendo ano a ano à medida em que a população geral vem tomando conhecimento do direito que a lei proporciona. Em 2015 o mercado, em plena crise cresceu 26,5 %. Já em 2016, ano passado, no olho do furacão da maior crise política e econômica vivida por nosso País, as vendas de automóveis com isenção cresceram mais ainda: 31,5 % segundo a média entre todas as montadoras de automóveis. Isso representa um aumento de 106 mil carros 0KM vendidos com isenção de impostos em 2015 para esse segmento, para um número que supera a casa dos 139 mil veículos com isenção em 2016 !

Segundo as empresas de adaptação de veículos, o mercado ficou praticamente estagnado em 2016, com números muito parecidos com 2015 quando se fala em adaptações para que a pessoa com deficiência possa dirigir o próprio carro. Já quem trabalha com adaptações para que PcD possam ser transportadas, puderam observar um crescimento na casa dos 15 a 20 % em relação ao ano anterior. Uma tendência que vem se consolidando nos últimos anos, e que irá aumentar ainda mais à medida em que a LBI – Lei Brasileira de Inclusão for sendo colocada em prática, por exemplo. A LBI exige que táxis e locadoras de veículos possuam um percentual de sua frota de automóveis adaptados. Este setor de adaptação se mostra otimista para 2017, segundo os empresários e dirigentes das empresas adaptadoras, que apostam em um ano de retomada da economia e aquecimento nos negócios após o primeiro trimestre.

A indústria automobilística também se mostra muito otimista para 2017 no segmento de vendas de automóveis com isenção. Algumas mais tradicionais no trabalho com PcD já visam naturalmente um aumento em suas vendas, com lançamentos de novos modelos e participação em eventos em São Paulo e outros estados. Outras, praticamente iniciantes no segmento, apostam também em lançamentos e participação na mídia e em eventos, e até em alguns casos, em incrementar ou iniciar sua produção no Brasil, o que facilita o trabalho junto aos consumidores PcD.

Por outro lado, algumas montadoras perderão seus modelos abaixo do valor teto de R$ 70 mil por uma questão de composição de preços. Isso pode prejudicar algumas marcas e beneficiar outras poucas, que conseguirão atingir o mercado com seus modelos com isenção completa. Os modelos fabricados no Brasil e Mercosul, que tem seus preços acima de R$ 70 mil, tem as mesmas isenções dos veículos abaixo de R$ 70 mil, com excessão da isenção do ICMS. Essa somente os abaixo de R$ 70 mil tem direito.  

  

Professor e palestrante carioca ganha Prêmio da Votação do Carro do Ano 2016 !

A Pesquisa de opinião para eleger o “Melhor Carro para Pessoas com Deficiência 2016” acontece tradicionalmente há 19 anos e recebe votos de leitores e assinantes de todo o Brasil, seja impresso – via Carta-Resposta/Correios – ou digital, através do site da Revista Reação. A cada ano, como forma de presentear algum participante, a Revista escolhe um prêmio e promove um sorteio entre os votantes. Nessa edição, o sortudo que levou para casa um Mini Projetor com Telão foi o carioca Antonio Ricardo Penha, de 51 anos. Ele é ex-militar e hoje, reformado, é editor de livros, sociólogo, professor e palestrante. Ricardo teve sua perna direita amputada recentemente, em agosto de 2016, por conta de uma infecção. Ele e sua esposa, Christiane Maria Costa Carneiro Penha, de 38 anos, psicóloga, autora de livros e professora de Libras, dão palestras do tema sobre Pessoas com Deficiência.  Antonio já está prestes a colocar a prótese. Eles votaram no modelo Voyage (VW)  e pegaram um exemplar da revista na ABBR, onde faz a sua reabilitação. Votaram, enviaram o cupom e foram sorteados !!! O prêmio foi entregue pelo diretor/editor da Revista Reação, Rodrigo Rosso, na Marina da Glória, local que será palco da 1º edição da Mobility RIO 2017, e julho próximo. Parabéns Antonio Ricardo e Christiane !!!

Font Resize