O que dizem sobre você

Não são poucos os casos em que observamos que o que dizem sobre nós pode exercer uma influência muito forte em nossos pensamentos, nos nossos sentimentos e conseqüentemente em nossas atitudes. O que dizem sobre nós (e como lidamos com isso) pode nos estimular como desestimular.

Nesse aspecto existem algumas vertentes:

1- O que ou como recebo de palavras de outras pessoas

2- O que ou como eu falo para as outras pessoas

Pois bem… Recebemos pessoas que necessitam de atendimentos na área da Reabilitação. Essas pessoas com grande freqüência se apresentam instáveis em relação ao que acreditam ou querem acreditar ou nem conseguem acreditar.  Já ouviram que não vão conseguir muitas coisas na vida por terem perdido a visão (ou parte dela). Já ouviram que podem se desenvolver e com independência e autonomia serão bem sucedidos. E agora ?

Como enfatizamos em cada atendimento para cada pessoa é importante considerar que:

– Se você acha que não pode, você está certa. Não pode.
– Se você acha que pode, você está certa. Pode.

Vamos dar crédito no que nos deprecia ou nos estimula ? Quem responde somos nós. Temo o poder das palavras, porém, também temos o poder da absorção do que nos é dito ou julgado sobre nós.  Não me refiro aqui sobre a importância das avaliações, devolutivas, feedbacks a nosso respeito… é outro assunto.

Por isso é um exercício, muitas vezes árduo, não considerarmos o que pode nos afetar para o negativo e agirmos em cumplicidade com o positivo. Podemos dar crédito ao difamatório e às palavras contrárias e isso nos paralisará ou fará que sejamos cúmplices da nossa própria derrota…OOOUUUU…. transformarmos as palavras negativas em combustível para sermos melhores e mais resistentes.

Essas formas de comportamento determinarão nosso sucesso/insucesso e como seremos considerados.

Um rapaz (vamos chamá-lo de Cido) com talentos,  determinação, comunicativo e muitas perspectivas no trabalho, com deficiência visual, foi alvo de uma série de difamações de um outro setor a respeito de sua índole. Após algumas calúnias, sob essa tensão emocional e sem apoio da chefia, ele não soube lidar com a situação e, fragilizado, pediu demissão da empresa em que trabalhava.

Nos atendimentos de reabilitação citava a injustiça no trabalho e como fazia o trabalho com excelência. Porém, na sua vulnerabilidade emocional, acabou optando pela demissão. Não houve tempo hábil para trabalhar essa questão nem estrutura interna dele para que conseguisse encarar o desafio de se defender (ou deixar o tempo passar). O cansaço físico e emocional, frente à situação de palavras negativas foram maiores. Não se sentia capaz de permanecer no trabalho, mesmo sendo reconhecido pelo profissionalismo. Não acreditava que poderia ser maior do que as intrigas comuns que acontecem nos ambientes de trabalho (comuns, mas não normais). Sentiu-se diminuído e esse era o objetivo das difamações, das más palavras que o atingiram.

Outro caso foi o de uma jovem de 23 anos, formada em curso superior, solteira, com deficiência visual congênita e sem autonomia para realizar as tarefas mais simples do seu dia a dia. Segundo alguns amigos, alguns “profissionais”, não conseguiria ter nenhuma autonomia por ela ter comprometimentos em sua coordenação motora e principalmente uma instabilidade emocional.

Enquanto ela não acreditou que poderia conseguir, não teve evolução nos atendimentos de Terapia Ocupacional nem nas demais áreas da Reabilitação para a conquista da sua independência. Foi realizado um trabalho intensivo para a mudança de crenças em relação a si própria e para acreditar que poderia transpor obstáculos, passo a passo, e que seria possível com determinação. Quando passou a considerar as palavras positivas dirigidas à ela, não sendo dominada pelas negativas, mas transformando-as em incentivo para avançar, percebeu que as atividades dos atendimentos até ajudavam, mas que precisaria muito acreditar. Houve uma melhora gradativa e visível do quanto se desenvolvia e adquiria sua independência.

– Se você acha que é capaz, você está certo. É capaz.
– Se você acha que não é capaz, você está certo. É capaz.

Palavras… Podem ser palavras a favor ou contra nós. Podem incentivar desenvolvimentos como até promover uma demissão. Demissão de ser ativo, de perseverar em alguma situação, de transpor obstáculos, como também até de um objetivo, sonho, relacionamentos ou trabalho profissional. Palavras podem ser verdadeiras como falsas. Podem ser sinceras como difamatórias. O poder das palavras pode construir e pode destruir.

Que possamos rever o que falamos para outras pessoas e como falamos.

Que possamos rever o quanto permitimos ser influenciados pelo que os outros falam…para a vida ou sobrevida.

Muito bem ! Que os nossos dias sejam bons em todo o tempo. Feliz 2020… 2021… 2022…

“Assim como o homem imagina na sua mente, assim ele é .“ (Provérbio – Salomão)