Pandemia e seu impacto na libido

Revista Reação

Especial de Aniversário

 

  • Por Paula Ferrari

 

Que período difícil estamos passando, né? É muito raro conversar com alguém que não teve sua vida abalada pela pandemia, seja no campo financeiro, profissional ou mesmo emocional.

O confinamento trouxe uma convivência mais próxima para muitos casais que mantinham superficialmente suas relações e o que poderia parecer interessante, se transformou em problema para muitos.

Se adaptar ao trabalho em casa, a pressão e medo de perder o emprego, a insegurança de estarmos diante de um inimigo invisível e tantas outras incertezas mexeu com o emocional e consequentemente com a libido de muita gente.

O sexo é, para muitos, uma válvula de escape e um momento de reestabelecer conexões, mas o que fazer quando um dos dois perde o apetite sexual ?

Primeiramente e mais importe: respeitar o momento de cada um e não tornar o sexo uma obrigação. Uma vez que isso está claro e entendido, vale testar as dicas que vou passar aqui:

 

1 – Nós somos o que pensamos ! Logo, pensar em algo que te excite, usar uma roupa que te faça sentir sensual, trocar mensagens provocantes são bons exemplos de “excitantes” naturais e fazem o nosso corpo se preparar para o ato sexual, atuando na liberação de hormônios que são responsáveis pela sensação de prazer e desejo;

2 – Alimentos como: pimenta, açafrão, gengibre, ginseng, maca peruana e o chocolate favorecem a produção hormonal, atuando como um “estimulante sexual” natural para o nosso organismo. Ter uma dieta com esses alimentos pode ser uma alternativa, mas lembre-se de consultar seu médico ou nutricionista antes de sair por aí fazendo sua própria dieta.

3 – Exercícios físicos ajudam na saúde e bem estar do nosso corpo, além de ajudarem na nossa autoestima ! Exercitar-se, mesmo que em casa, é sempre uma boa opção.

4 – Livre-se da culpa e das comparações. Preocupações com outros aspectos da vida, como o trabalho e o estresse do dia a dia também podem ajudar a esfriar sua relação.

 

Antes de mais nada estar bem consigo é essencial. Cuidar de si é fundamental.

Essas são apenas algumas dicas, mas vale lembrar que há muitas causas para a diminuição da libido e, caso persista, é importante uma conversa com seu médico de confiança.

  • Paula Ferrari é fisioterapeuta, especialista em reabilitação neurológica. Há 10

anos trabalha com a temática da sexualidade da pessoa com deficiência. Modelo fotográfica da agência Kica de Castro Fotografias.

 

paula.pferrari@yahoo.com.br

Font Resize