Para ouvir e se ambientar

Aplicativo para celular Aipoly transforma imagens em voz e ajuda no dia a dia de pessoas cegas e com baixa visão

Imagine uma pessoa com deficiência visual que pode escolher e combinar a própria roupa, encontrar objetos que estão fora de seu alcance e até saber o momento de atravessar a rua com farol verde. Isso tudo sem ajuda de um acompanhante ou do cão-guia.

Dar maior liberdade e autonomia para quem é cego ou tem baixa visão é a proposta do aplicativo Aipoly Vision, desenvolvido por estudantes da Universidade Singularity, nos Estados Unidos. A nova tecnologia é capaz de transformar imagens em voz e descrever aquilo que for captado com a câmara do celular.

O aplicativo, que está disponível para os sistemas Android e IOS, pode ser uma ferramenta muito importante de inclusão para que os 285 milhões de pessoas com deficiência visual (dados da Organização Mundial da Saúde) possam vencer obstáculos corriqueiros. E também para quem tem problemas como daltonismo. Isso porque o programa tem duas funções: reconhecimento de objetos e reconhecimento de cor. Depois de escolher qual modo quer usar, basta o usuário apontar o telefone para um objeto e apertar o botão no centro da tela. A partir de uma tecnologia de inteligência artificial, o aplicativo reconhece o objeto ou a cor e o identifica em áudio. Isso tudo com um intervalo de tempo mínimo, de apenas três segundos.

O Aipoly Vision pode reconhecer 954 cores específicas e até três objetos por segundo e não requer nenhuma conexão à internet para funcionar. Os desenvolvedores, no entanto, alertam que o aplicativo ainda não está totalmente aperfeiçoado. Ele ainda reconhece um número ilimitado de objetos e confunde alguns nomes, o que deverá ser corrigido à medida que novas atualizações forem disponibilizadas. Para tanto, os usuários – deficientes ou não – terão uma participação importante, já que poderão ajudar o Aipoly Vision a “aprender novos objetos” digitando as descrições.

Fonte: Jornal AME – maio/junho 2017