Parceria colaborativa em debate no festival ‘Assim Vivemos’

Cena dos filmes ‘Minha amiga do sanatório’, de Zlata Onufrieva (à esquerda), e de ‘E elas eram colegas de quarto’, de Kylie Walter
Cena dos filmes ‘Minha amiga do sanatório’, de Zlata Onufrieva (à esquerda), e de ‘E elas eram colegas de quarto’, de Kylie Walter

Inclusiva, gratuita e permitindo ricos debates sobre o tema das pessoas com deficiência, a 10ª edição do Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência segue online até 11 de outubro. Pelo site www.assimvivemos.com.br, o público pode participar dos encontros e assistir aos filmes relacionados ao tema. O terceiro bate-papo virtual, mediado por Lara Pozzobon, curadora e idealizadora do festival, foi com o tema “Parceria Colaborativa”.

 

Motivado pelos médias-metragens da sessão online, “Minha amiga do sanatório” e “E elas eram colegas de quarto”,  destacou as experiências e os processos de suporte, de forma humanizada e personalizada, para apoiar pessoas com deficiência por meio da tutoria inclusiva. O bate-papo  teve as presenças de Maria Alice Sigaud, mestra em Psicologia da Aprendizagem, e Ana Claudia Brandão, médica pediatra do Centro de Especialidades Pediátricas do Hospital Israelitxa Albert Einstein, e do Baobá – Centro de Desenvolvimento e Comportamento Infantil-, com atuação voltada para crianças e adolescentes com síndrome de Down,

 

O festival segue no formato com filmes e debates online até 11 de outubro. Ao longo das edições, esses encontros se consolidaram como um espaço importante de diálogo e reflexão acerca dos temas relativos às pessoas com deficiência e, consequentemente, a toda a sociedade. Eles contam com a presença de profissionais ativos nas suas áreas de atuação, sempre com prioridade para a participação de pessoas com deficiência. No site www.assimvivemos.com.br é possível conferir a programação online completa de filmes e debates.

 

Todos os filmes contam com recursos de acessibilidade como a audiodescrição e as legendas LSE (para surdos e ensurdecidos), além da interpretação em LIBRAS. Os debates ao vivo têm interpretação em LIBRAS e serão disponibilizados gratuitamente através do site, assim como o catálogo digital do festival com informações, sinopses dos filmes e programação completa. Serão oferecidos cinco prêmios do júri e um do público, destinado ao filme escolhido nas três cidades. Os membros do júri são pessoas com deficiência, artistas e profissionais e, em cada edição, o júri cria novas categorias de prêmios, a fim de destacar as qualidades específicas dos filmes premiados. O troféu foi criado pela artista cega Virginia Vendramini. A direção geral do Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência é de Graciela Pozzobon. A realização é do Centro Cultural do Banco do Brasil, com patrocínio do Banco do Brasil através da Lei de Incentivo à Cultura, e produção da Cinema Falado Produções.

 

As produções motivadoras do debate:

Minha amiga do sanatório – My Friend From a Care Home. Dir. Zlata Onufrieva. Reino Unido | 40′ | 2021

Narra a saga de Nina; uma jovem de 27 anos, residente de uma fundação para pessoas com deficiência de aprendizagem até abril de 2020 quando, em decorrência do isolamento social imposto pela pandemia, saiu da instituição fechada para viver em um apartamento em Moscou.

 

E elas eram colegas de quarto – And They Were Roommates: navigating inclusive mentorship in higher education. Dir. Kylie Walter. EUA | 38′ | 2020

O filme se concentra em duas colegas de quarto na faculdade: Kylie (uma estudante do primeiro ano de Educação) e Olivia (uma caloura não matriculada que estuda Artes e que se identifica como uma pessoa com deficiência). Novatas em suas funções, elas descobrem que a tutoria inclusiva de duas colegas e a amizade no meio universitário vêm acompanhadas de um conjunto de desafios, sucessos e emoções.

 

Para conferir a programação completa do Assim Vivemos 2021, acesse: www.assimvivemos.com.br

 

Cena dos filmes ‘Minha amiga do sanatório’, de Zlata Onufrieva (à esquerda), e de ‘E elas eram colegas de quarto’, de Kylie Walter
Cena dos filmes ‘Minha amiga do sanatório’, de Zlata Onufrieva (à esquerda), e de ‘E elas eram colegas de quarto’, de Kylie Walter

Para seguir nas redes:

Face: Festival Assim Vivemos e Insta: @festivalassimvivemos

 

Sobre o CCBB RJ

O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro funciona de quarta a segunda (fecha terça), das 9h às 19h aos domingos, segundas e quartas e das 9h às 20h às quintas, sextas e sábados. A entrada do público é permitida apenas com agendamento online (eventim.com.br), o que possibilita manter um controle rígido da quantidade de pessoas no prédio. Ainda conta com fluxo único de circulação, medição de temperatura, uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool gel e sinalizadores no piso para o distanciamento. Nos teatros e cinemas a lotação está reduzida para 40%.

 

A partir de 15 de setembro, em atenção ao decreto nº 49335, o acesso ao CCBB só será permitido ao público que apresentar na entrada da instituição a comprovação de vacinação contra a COVID-19.

 

Sobre o Festival Assim Vivemos

Realizado desde 2003, o Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência, conta com o patrocínio do Centro Cultural Banco do Brasil. Evento bienal, promove a reflexão sobre temas como preconceito, invisibilidade social, mobilidade, afeto, superação, autonomia, inclusão e acessibilidade, trazendo para o Brasil o melhor da produção audiovisual mundial sobre o assunto.

 

Entre suas produções estão curtas, médias e longas metragens de diferentes nacionalidades que formam um mosaico diverso, abrangente e rico sobre as questões que envolvem as pessoas deficientes e consequentemente toda a sociedade. Em todas as sessões são disponibilizados recursos de acessibilidade como a audiodescrição e legendas LSE (para surdos e ensurdecidos) e interpretação de LIBRAS.

 

O Assim Vivemos já se consolidou como um importante espaço de reflexão, já que também promove debates e oficinas sobre temas levantados pelos filmes, onde pessoas com deficiência e profissionais de referência com e sem deficiência se encontram. Com curadoria delicada e cuidadosa, que busca dar o espaço de fala e o protagonismo para as pessoas com deficiência contarem suas histórias, o Festival Assim Vivemos se revela uma experiência que encanta e transforma todos os públicos.

 

Serviço

Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro – CCBB RJ

De 22 de setembro a 11 de outubro de 2021

De 22.09 a 4.10 – sessões presenciais

De 22.09 a 11.10 – sessões online de filmes relacionados aos debates e de filmes extras disponibilizados semanalmente

 

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro, Rio de Janeiro

Horário: domingo, segunda-feira e quarta-feira, de 9h às 19h

Quinta-feira, sexta-feira e sábado, de 9h às 20h

Local: Cinema I, capacidade de 33 lugares por sessão.